Suspeito de matar família e fazer reféns é procurado há seis dias pela polícia; veja lista de crimes

Lázaro Barbosa de Sousa, de 33 anos, invadiu casas, baleou e roubou moradores e incendiou carros

Lázaro Barbosa de Sousa mata pessoas em Ceilândia
Legenda: O homem de 33 anos segue foragido, mas um cerco policial foi montado pelas forças de segurança
Foto: Divulgação/PCDF

O suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família, no Distrito Federal, e balear outras três vítimas, em Goiás, é procurado pela polícia há seis dias. Lázaro Barbosa de Sousa, de 33 anos, tem provocado uma onda de terror e feito reféns em casas da região. As informações são do jornal Correio Braziliense.

As buscas no Distrito Federal e em Goiás contam com mais de 200 policiais, 50 viaturas e apoio de cães farejadores, drones e helicópteros. 

Lázaro quase foi preso pelo cerco policial na tarde deste domingo (13). Ele avistou uma viatura da polícia por volta das 18h30, próximo ao município de Edilândia (GO), e fugiu por uma área de mata. 

O suspeito utilizava um carro roubado, onde foi encontrado um carregador de munições. Desde quarta-feira (9), Lázaro Barbosa tem cometido uma série de crimes. 

Veja cronologia

Quarta-feira (9)

Lázaro é suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família em Ceilândia, no Distrito Federal, na quarta-feira (9). Ele teria baleado Cláudio Vidal, 48, e Cleonice Marques, 43, e os dois filhos do casal, Gustavo Marques Vidal, 21, e Eduardo Marques Vidal, 15.

Cleonice foi raptada na madrugada de quarta-feira, após Lázaro invadir o imóvel da família. Ele teria obrigado todos a ficarem pelados.

A mulher conseguiu ligar e pedir socorro ao irmão, que chegou cerca de 10 minutos depois e já se deparou com os corpos do cunhado e dos sobrinhos. Momentos antes de morrer, porém, Cláudio conseguiu alertar o cunhado: “Age rápido. Levaram a Cleonice”.

Cleonice foi encontrada já sem vida nesse sábado (12), a 8 km da chácara onde a família residia. Além dos agentes de segurança, as buscas pela empresária tiveram apoio operacional de cães farejadores, drones e helicóptero. 

Quinta-feira (10)

Após os homicídios, na manhã de quinta-feira (10), Lázaro teria entrado em uma casa a cerca de 3 km da família Marques Vidal. Ele fez reféns a proprietária da chácara, Sílvia Campos, e o caseiro, identificado como Anderson. 

Ele roubou mais de R$ 200, celulares, carregadores e uma jaqueta. Lázaro obrigou as vítimas a fumarem maconha, segundo informações do portal. 

Sexta-feira (11)

Lázaro fez mais um refém e roubou um carro Fiat Pálio, em Ceilândia. Ele partiu para a cidade de Cocalzinho, em Goiás, e incendiou o veículo. As investigações apontam que ele contou com a ajuda de um comparsa na cidade. 

Sábado (12)

O homem fez mais um refém, o caseiro de uma chácara onde passou a tarde. Ele bebeu, obrigou o homem a fumar maconha e destruiu o carro da vítima. Horas depois, invadiu uma outra chácara e baleou três pessoas. 

Lázaro roubou duas armas de fogo e fugiu novamente. Ele foi encontrado pelos policiais, houve troca de tiros, mas conseguiu escapar

Domingo (13)

Lázaro Barbosa avistou uma viatura da polícia por volta das 18h30 deste domingo, próximo ao município de Edilândia (GO), e fugiu por uma área de mata. Ele abandonou um carro roubado, onde foi encontrado um carregador de munições. 

Os policiais conseguiram se aproximar do suspeito após um dono de chácara relatar que teve o carro roubado, e a residência revirada. 

Dezessete fazendas foram ocupadas estrategicamente na região de Cocalzinho, cidade do interior goiano onde os últimos crimes teriam acontecido. Também há buscas nas áreas de mata. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil