Policial da PRF ensina 'técnica' de tortura em viatura durante aula de cursinho; veja vídeo

Em aula, Ronaldo Bandeira relata como trancou preso dentro de uma viatura e jogou spray de pimenta até deixá-lo "mansinho"

Policial ensina técnica de tortura em aula de cursinho
Legenda: Homem colocado no porta-malas da viatura da PRF morreu de asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda
Foto: Reprodução

Imagens em que um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ensina alunos de curso a praticarem tortura viralizaram nas redes sociais nesta sexta-feira (27).

No vídeo, o policial e professor Ronaldo Bandeira relata como trancou um preso dentro de uma viatura e jogou spray de pimenta no carro, até deixá-lo "mansinho".

O relato aconteceu durante uma aula de cursinho preparatório para concursos da polícia em que Ronaldo é proprietário.

Assista ao vídeo:

"Nesse ínterim, que a gente ficou lavrando o procedimento e ele estava na parte de trás da viatura, ele ainda tentou quebrar o vidro da viatura, com chutes. Ficou batendo o tempo todo. O que que o polícia faz? Abre um pouquinho, pega o spray de pimenta e taca", disse Ronaldo, provocando risos dos alunos.

Internautas apontaram semelhanças entre a 'tática' citada por Ronaldo Bandeira à utilizada na última quarta-feira (25), pelos policiais da PRF responsáveis pela morte Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, durante uma abordagem em Umbaúba, Sergipe.

Nesse caso, os policiais usaram gás lacrimogêneo e mantiveram o homem preso, apesar dos gritos da vítima e da manifestações das pessoas próximas ao local. Ele morreu de asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Logo depois, o professor definiu sua atitude como tortura. "Fod*-se. É bom pra caral**! A pessoa fica mansinha! Aí daqui a pouco eu só escutei assim: eu vou morrer! Eu vou morrer! Aí eu só abri assim: tor-tu-ra", completou.

Professor se manifesta

Após a repercussão do vídeo, Ronaldo Bandeira publicou nota nas redes sociais. Ele se defendeu afirmando que o trecho que viralizou era "um exemplo fictício do que não deve ser feito na prática".

"O professor Ronaldo Bandeira não compactua com nenhum tipo de violência física ou psicológica e que nunca praticou ou presenciou um episódio desse tipo", diz o texto compartilhado no perfil do professor no Instagram, que tem cerca de 14 mil seguidores.

Veja a nota na íntegra:

O trecho do vídeo que viralizou faz parte de uma aula com mais de 3 horas de duração ministrada há 6 anos, em que se trata de um exemplo fictício do que NÃO DEVE SER FEITO NA PRÁTICA para esclarecer aos alunos sobre conteúdo Lei Penal 9.455/97, ANTI-TORTURA.

O professor Ronaldo Bandeira não compactua com nenhum tipo de violência física ou psicológica e que nunca praticou ou presenciou um episódio desse tipo.

O professor Ronaldo Bandeira deixa claro que se trata de uma aula privada sem nenhuma vinculação com a instituição a qual pertence.

É um fato isolado, não vai manchar 13 anos de história e reputação com milhares aprovados (mais de 5000 aprovados) em carreiras policiais que conseguiram realizar seus sonhos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil