Entenda o conflito político envolvendo Rússia e Ucrânia

Rússia já mobilizou mais de 100 mil soldados à fronteira com a Ucrânia, gerando temores de uma invasão iminente

Legenda: Blinken afirmou que os Estados Unidos seguem retirando a embaixada da Ucrânia e solicitou que os cidadãos norte-americanos que vivem no país europeu deixem o território o mais rápido possível
Foto: Sergey Bobok / AFP

A tensão que já vinha ocorrendo entre Rússia e Ucrânia aumentou a um nível que causou um alerta à comunidade internacional. Em meio ao risco de uma guerra iminente, o secretário de Estado americano, Antony Blinken alertou, nesta sexta-feira (11), que a invasão da Rússia na Ucrânia pode começar "a qualquer momento". 

Essa invasão pode ocorrer inclusive durante os Jogos Olímpicos de Inverno que acontecem na China. Blinken acrescentou que os Estados Unidos seguem desativando a embaixada da Ucrânia

Além disso, também solicitaram aos estadunidenses que vivem no país europeu para deixarem o território o mais breve possível. Isso porque a Rússia continua enviando tropas para a fronteira com a Ucrânia, detalhou Antony Blinken.

"Simplificando, continuamos a ver sinais muito preocupantes da escalada russa, incluindo novas forças chegando à fronteira [com a Ucrânia]", disse o secretário em coletiva de imprensa na cidade australiana de Melbourne.

AMEAÇA DE GUERRA

A Rússia já mobilizou mais de 100.000 soldados na fronteira com a Ucrânia, o que gera temores de uma invasão iminente.

A rivalidade entre os países têm raízes históricas. Rússia e Ucrânia compartilham como origem o chamado Rus de Kiev, um principado que existiu entre os séculos IX e XIII. Essa entidade abrangia a Rússia contemporânea, a Ucrânia e Belarus. Moscou considera esta área como seu berço.

O presidente Vladimir Putin já havia declarado que a Ucrânia teria sido "criada por Lenin" nos primeiros anos da União Soviética, uma forma de negar as especificidades da nação, que ele apresentou como artificial.

Legenda: Líderes ocidentais recorreram à diplomacia para aliviar a situação
Foto: Andrei Pungovschi / AFP

EPICENTRO DO CONFLITO ENTRE RÚSSIA E UCRÂNIA

Donbass, onde está localizada uma bacia mineira e industrial, é economicamente vital para a Ucrânia. A região fica ao leste do país e é o epicentro do conflito entre as forças de Kiev e os separatistas pró-russos apoiados por Moscou desde 2014. 

Uma batalha cultural entre Kiev e Moscou também está no centro do conflito. Há argumentos de que a região, juntamente com grande parte do este da Ucrânia, é povoada por uma população de língua russa que precisa ser protegida do nacionalismo ucraniano.

Segundo informações da agência de notícias AFP, a russofilia da região deve-se, no entanto, à russificação forçada e ao repovoamento da região após a Segunda Guerra Mundial, com a chegada de centenas de milhares de trabalhadores russos.

SITUAÇÃO DA CRIMEIA APÓS REVOLUÇÃO PRÓ-OCIDENTAL NA UCRÂNIA

A Crimeia foi anexada por Moscou em 2014 após uma revolução pró-ocidental na Ucrânia. Para a Rússia, a península é considerada parte integrante do país.

A Crimeia fez parte do Império Russo desde o século XVIII e depois, sob a União Soviética, foi integrada à Rússia até ser anexada à Ucrânia soviética em 1954 por um decreto de Nikita Khrushchev.

comunidade internacional não reconhece a anexação por Moscou e a Ucrânia exige sua devolução.

'GUERRA MUNDIAL'

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na quinta-feira (10), que diante de uma possível invasão russa as coisas podem "enlouquecer"

"Estamos lidando com um dos maiores exércitos do mundo", alertou o presidente em entrevista à NBC News. À reportagem ele também disse que “as coisas podem enlouquecer rapidamente”.

Biden reiterou que, em hipótese alguma, enviaria tropas para a Ucrânia, mesmo para resgatar americanos em caso de invasão russa. "Isso é uma guerra mundial. Quando americanos e russos começam a atirar uns nos outros, estamos em um mundo muito diferente", disse.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo