Capitólio dos EUA é fechado por 'ameaça de segurança' após motorista atropelar policiais

Um dos policiais e o motorista morreram

bloqueio no capitólio
Legenda: Segurança foi reforçada no entorno do Capitólio
Foto: Eric Baradat/AFP

Um policial morreu e outro ficou ferido ao serem atropelados perto do Capitólio, em Washington, nos Estados Unidos. O condutor do veículo foi morto após ser baleado por outros agentes. O caso ocorreu nesta sexta-feira (2), menos de três meses depois de a sede do Legislativo americano ser invadido por uma multidão de extremistas. 

Tanto os agentes como o suspeito foram encaminhados a unidades hospitalares. Um dos policiais morreu antes de chegar ao hospital, enquanto o condutor do veículo, em estado grave, morreu pouco depois de dar entrada na unidade de saúde.

A polícia do Capitólio não informou o estado de saúde do outro policial ferido. "Um dos nossos agentes sucumbiu aos seus ferimentos", disse Yogananda Pittman, chefe interina da polícia do Capitólio, durante coletiva de imprensa.

A Polícia bloqueou o prédio após relato de tiros na área e afirmou que todos os edifícios do complexo foram fechados "devido a uma ameaça externa à segurança". O ataque, conforme a Polícia, não parece ser ato de "terrorismo".

O motorista teria jogado o carro contra uma barricada do lado de fora do Capitólio, ferindo os dois policiais. "Os três foram transportados para o hospital", disse o Departamento de Polícia do Capitólio no Twitter.

publicação no twitter da polícia

Ruas do centro de Washington ficaram parcialmente fechadas. Após o incidente, funcionários foram informados de que não podiam entrar ou sair dos edifícios. 

Às 16h18, a polícia do Capitólio divulgou ter liberado a área externa do complexo. Em comunicado, explicaram que apenas o local onde ocorreu o incidente permanecerá isolado.

capitólio em washington
Legenda: A sede do Congresso dos EUA foi fechada após a ocorrência
Foto: Divulgação

A segurança em torno do Capitólio foi reforçada após a invasão que ocorreu no Congresso em janeiro deste ano por extremistas de direita e apoiadores do então presidente Donald Trump. Na ocasião, era realizada a sessão que validava a eleição do democrata Joe Biden, atual presidente dos EUA.

A invasão promoveu o pânico entre parlamentares, que deixaram o edifício às pressas, e deixou diversas pessoas feridas. Uma mulher foi baleada e morreu. Houve ameaças de bombas e manifestantes depredaram o gabinete de congressistas -um dos gabinetes alvo de vandalismo pertence à presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados