Os 10 carros mais vendidos do Ceará em julho

Ao todo, foram emplacados 3.849 unidades no Estado, entre automóveis e comerciais leves

Legenda: Jeep Compass está entre os mais vendidos do mês no Ceará
Foto: Divulgação

A venda de veículos no Ceará caiu 5,57% em julho na comparação com junho deste ano. Ao todo, foram emplacados 3.849 unidades, sendo 3.004 automóveis e 845 comerciais leves. Mesmo com o recuo, o setor acumula alta de 41,28% nos primeiros sete meses do ano.

O resultado do mês também foi 5,29% menor que o observado em julho de 2020, quando a atividade econômica estava mais restrita para conter a disseminação da covid-19 e foram vendidos 4.064 veículos. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (4) pela Federação Nacional de Veículos Automotores (Fenabrave).

Confira os modelos mais vendidos no ano:

  1. Onix/GM: 1.958
  2. HB20/Hyundai: 1.529
  3. Onix Plus/GM: 1.356
  4. Compass/Jeep: 1.327
  5. Argo/Fiat: 1.240
  6. Mobi/Fiat: 1.063
  7. Kwid/Renault: 1.024
  8. Creta/Hyundai: 998
  9. Gol/VW: 865
  10. Renegade/Jeep: 865

Cadeia produtiva em descompasso

O vice-presidente da Fenabrave no Ceará, Lewton Monteiro, esclarece que a baixa no volume de emplacamentos em julho aconteceu devido à falta de produtos disponíveis. Desde o início da pandemia, a indústria automobilística tem sofrido com a falta de matéria-prima, mas os estoques estavam mantendo o ritmo de vendas constante.

"A indústria está com dificuldade de produção por conta dessa falta de insumos, então a cadeia fica prejudicada. A fata de produto já começa a refletir nas vendas, porque a demanda está mais aquecida que a oferta", afirma.

Ele pontua que não há previsão para a normalização desse descompasso, o que deve agravar esse cenário de escassez de unidades disponíveis nas concessionárias. Segundo Monteiro, algumas montadoras que tinham previsão de retornar as atividades nesse mês de agosto já adiaram a volta, o que deve contribuir para a falta de mais modelos nos próximos meses.

"Já começam a se formar filas de espera, porque nem todas as montadoras estão conseguindo ter veículos para pronta-entrega. Dependendo do modelo, essa espera pode variar de 30 a 180 dias", revela o vice-presidente da Fenabrave.

Preços e condições de compra

Apesar da falta de veículos e da alta demanda, os preços têm sido reajustados apenas pelo aumento dos custos dos componentes. Montadoras e concessionárias também estão mantendo condições diferenciadas de compras.

"As condições pra compra ainda estão favoráveis. Temos promoções, as financeiras estão com apetite, o índice de aprovação dos financiamentos está alto. O consumidor ainda encontra boas condições, mas é difícil dizer se elas se mantém por muito tempo, porque a medida que essa falta de unidades vai se agravando, fica mais difícil segurar"
Lewton Monteiro
Vice-presidente da Fenabrave no Ceará

Motos

O volume de motos emplacadas no Estado em julho também sofreu uma redução de 2,09%. Conforme a Fenabrave, foram vendidas 6.104 unidades contra 6.234 em junho. Já na comparação com julho de 2020, houve um salto de 21,76% nas vendas.

No acumulado do ano, já são 32.429 motos emplacadas no Ceará, volume 43,96% maior que no mesmo período de 2020.

Outros segmentos

Assim como as motos, o segmento de veículos grandes, que abrange caminhões e ônibus, sofreu retração de 4,15% em comparação a junho, mas alcançou alta de 25,54% ante julho do ano passado.

Foram 231 unidades emplacadas no mês e 1.400 no ano até o momento. Nos sete primeiros meses de 2021, as vendas cresceram 42,13%.