Sete suspeitos se tornam réus por participação em chacina em Caucaia

Grupo será julgado por homicídio, lesão corporal, roubo, porte ilegal de arma de fogo, organização criminosa e corrupção de menores

chacina em caucaia
Legenda: Um dos cinco homens mortos foi achado no quarto do imovel
Foto: André Alencar

Sete suspeitos de participação em chacina que deixou cinco pessoas mortas em Caucaia no início deste mês se tornaram réus após a Vara Única do Júri da Comarca do município aceitar denúncia contra o grupo. Decisão foi publicada nesta terça-feira (17), mais de duas semanas após o crime. 

Os réus serão julgados pelos crimes de homicídio qualificado, lesão corporal, roubo com concurso de pessoas, porte ilegal de arma de fogo, organização criminosa e corrupção de menores.

De acordo com o juiz Carlos Eduardo de Oliveira Holanda Junior, que aceitou a denúncia, há "indícios suficientes de autoria e materialidade" do crime. Provas, depoimentos e diligências policiais pautaram  decisão. 

Grupo denunciado é composto por: Raimundo Cleilton Ferreira da Costa, João Pedro de Oliveira Sousa, Leandro Moreira Vitor da Silva, Francisco Vilmar Brito da Silva, Mickael Gomes de Oliveira, Antônio Michael da Silva Nogueira e Diones Rosa de Carvalho

O juiz ainda informou no documento que não aceitou a denúncia contra outras cinco pessoas, que havia sido representada pela Polícia. A Vara Única do Júri da Comarca de Caucaia corrobora com o MPCE e avaliou que as provas contra estas pessoas eram "bastante frágeis e insuficientes". 

Prisões 

Seis pessoas foram presas por suspeita de envolvimento nos assassinatos ainda em 1º de agosto, mesmo dia do crime. O grupo capturado estava em posse de armas de fogo, munições e ainda fardas do exército.

Já no dia 7 de agosto, a Polícia Civil prendeu mais uma pessoa, desta vez um homem de 38 anos,  que seria suspeito de planejar a matança no distrito de Boqueirão das Araras, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). 

A prisão do homem, que é considerado chefe do grupo, foi realizada no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. Contra ele havia um mandado de prisão preventiva.

CHACINA

Na madrugada do último dia 1º de agosto, as vítimas consumiam bebida alcoólica no interior de um bar, no distrito Boqueirão das Araras, quando foram surpreendidas por "alguns homens a pé", que chegaram atirando e não 'tiveram reação e nem como fugir".

Dois corpos foram encontrados na estrada e outros três em uma residência, sendo um no quarto e dois no banheiro. O crime deixou ainda mãe e filha feridas. Elas foram baleadas e socorridas ao hospital municipal de Caucaia. A mãe foi lesionada por um disparo em uma perna, e a filha, em um dos braços. 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a motivação da série de assassinatos seria a disputa de território entre facções rivais. 

No local do crime, a PM afirma ter encontrado "várias cápsulas de pistola calibre 38" e uma pichação na parede da casa onde os cadáveres foram localizados. 

Segundo a SSPDS, apenas uma vítima, de 28 anos, tinha antecedentes criminais pelos crimes de tráfico de drogas e posse/porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança