Preso foge do IPPOO II enquanto trabalhava na cozinha da unidade

De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária, equipes estão em diligências em busca de recapturar o foragido

preso foragido ippoo
Legenda: As buscas pelo detento foragido continuam

Um preso fugiu do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), na Região Metropolitana de Fortaleza, na manhã desta terça-feira (23). Fábio Araújo de Sousa, de 28 anos, atuava na padaria do Instituto e era considerado como "preso de confiança" devido ao seu histórico de bom comportamento.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) confirmou a fuga, mas não detalhes de como ela aconteceu. Há informações extraoficiais que o detento teria conseguido se evadir da unidade prisional utilizando vestimenta de policial penal.

De acordo com a SAP, Fábio "cometeu a prática de abuso de confiança e se evadiu do seu local de trabalho. Ele era um detento classificado e atuava na cozinha da unidade". A Pasta destacou que equipes estão em diligências empenhadas para recapturar o preso e apurar internamente o caso.

Superlotação

Em janeiro deste ano, a Secretaria divulgou que o IPPOO II abrigava 1.805 presos. A capacidade de população carcerária na unidade é inferior a 500 presos. Os números revelam a realidade de superlotação vista nas prisões do Ceará há quase uma década. De acordo com um policial penal, que terá sua identidade preservada, no momento da fuga tinham quase 20 servidores de plantão no equipamento.

Há pouco mais de um mês, policiais impediram uma fuga na mesma unidade. 23 internos de uma mesma cela chegaram a um espaço conhecido como "quintal", mas foram flagrados pelos servidores plantonistas. No ano de 2020, o IPPOO II registrou três fugas. Uma delas aconteceu em julho, quando 17 presos escaparam.

A Secretaria da Administração Penitenciária destaca que quem tiver informações que possam ajudar na recaptura de foragidos pode entrar em contato pelo (85) 99818-3970, Whatsapp Disque-Denúncia. A Pasta se compromete a garantir sigilo absoluto do denunciante.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança