Polícia Civil e Receita Federal apreendem R$ 900 mil em cigarros eletrônicos e essências

Operação “Vapor” foi deflagrada nesta quarta-feira (29) em Fortaleza. Foram apreendidos produtos como vapers e essências, além de dinheiro em espécie

Foram apreendidos pela Polícia Civil e pela Receita Federal vapers, essência e dinheiro em espécie.
Legenda: Foram apreendidos pela Polícia Civil e pela Receita Federal vapers, essência e dinheiro em espécie.
Foto: Reprodução/Polícia Civil do Ceará

A Polícia Civil do Ceará e a Receita Federal apreenderam, nesta quarta-feira (29), em torno de R$ 900 mil em produtos ilegais vinculados ao comércio de cigarros eletrônicos em Fortaleza. Os produtos estavam armazenados em 11 estabelecimentos comerciais de nove bairros da Capital. Quatro pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar depoimento.  

No total, de acordo com a Polícia Civil, foram apreendidos milhares de produtos como vapers (cigarros eletrônicos) e essências, além de cerca de R$ 23 mil em espécie.  

Chamada “Vapor”, a operação investiga crimes como contrabando, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro por parte de comércios do ramo da tabacaria. Está sendo conduzida pelo setor de inteligência da Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (DCCOT) da Polícia Civil, após denúncia anônima sobre possível sonegação fiscal e lavagem de dinheiro por parte de estabelecimentos comerciais do ramo.  

“Identificamos o comércio ilegal de produtos proibidos pela RDC [Resolução de Diretoria Colegiada] 46 da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], no caso específico, dispositivos eletrônicos para fumar, acessórios e essências líquidas, bem como fortes indícios da prática de possíveis crimes de sonegação fiscal, contra a saúde pública e as relações de consumo”, revelou Kamilly Távora Campos, titular da DCCOT. 

Ação policial 

A ação contou com cerca de 50 policiais civis e 22 servidores da Receita Federal, dentre auditores-fiscais e analistas.
Legenda: A ação contou com cerca de 50 policiais civis e 22 servidores da Receita Federal, dentre auditores-fiscais e analistas.
Foto: Reprodução/Polícia Civil do Ceará

A ofensiva contou com aproximadamente 50 policiais civis e 22 servidores da Receita Federal, dentre auditores-fiscais e analistas. A investigação está em percurso há pelo dois meses e deve continuar, conduzida pela DCCOT em parceria com a Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho (DIREP) da Receita Federal.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança