Mulher detida após matar outra dentro de boate em Tianguá tem prisão preventiva decretada

A presa afirmou à Polícia que disparou contra a mesa onde o marido estava, pois estava com raiva dele. Tiro atingiu outra mulher

Mulher com arma na mão e homem discutindo
Legenda: Vídeo de câmera de segurança mostra os momentos após o crime, quando a mulher discute com o companheiro fora do boate
Foto: Reprodução

Dayane Rafaelle da Silva Rodrigues, mulher de 31 anos que matou outra em uma boate de Tianguá, no interior do Ceará, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva na tarde desta sexta-feira (19). Decisão foi anunciada pelo Juízo da Vara Criminal durante audiência de custódia. 

A defesa da acusada havia solicitado a conversão da prisão em domiciliar, mas teve o pedido negado, estando o mandado de prisão em desfavor de Dayane já expedido. Ela foi presa nessa quinta-feira (18) por policiais do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) da Polícia Militar do Ceará (PMCE).

O crime, segundo Dayane Rafaelle informou aos policiais, ocorreu porque ela estava com raiva do marido, que estava no estabelecimento com mais quatro pessoas - entre elas, Djaiane Batista Barros, 26, que foi baleada e morreu na hora. Um homem de 24 anos também foi baleado e levado para uma unidade de saúde.  

A mulher informou ainda que efetuou os disparos de forma aleatória. Ela admitiu que não conhecia a mulher que foi baleada.

Câmeras filmaram os momentos após o crime

Em um vídeo registrado pela câmera de segurança do local, é possível ver que depois dos disparos, a suspeita caminha para fora do estabelecimento e é seguida pelo marido. Do lado de fora, o homem tenta retirar a arma da esposa.

Conforme o delegado, a arma utilizada no crime foi comprada em Fortaleza, mas a ação não foi premeditada. "Segundo ela, ela agiu desconfiando que ele estaria lá e resolveu fazer na hora", indicou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança