Chacina da Messejana: 31, dos 44 policiais acusados, vão a júri popular, define Justiça

Em sessão realizada nesta quarta-feira na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará definiu-se ainda que outros três policiais envolvidos serão julgados na Justiça Militar

Dos 44 policiais militares acusados de envolvimento na chamada "Chacina da Grande Messejana", 31 serão submetidos a júri popular, enquanto outros três vão ser julgados na Justiça Militar. A decisão foi definida nesta quarta-feira (30), em sessão na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará. Além disso, nenhum dos PMs será conduzido a prisão preventiva, permanecendo, portanto, os 44 policiais soltos. 

A "Chacina da Messejana" deixou 11 pessoas mortas, além de seis feridas, em quatro bairros da capital, durante a madrugada do dia 12 de novembro de 2015. 

A sessão foi conduzida pela desembargadora Marlúcia de Araújo Bezerra, relatora dos processos, e contou também com a participação dos desembargadores José Tarcísio Souza da Silva e Francisco Lincoln Araújo e Silva. 

O julgamento desta quarta-feira foi separado em três processos, para análise de recursos feitos pelas defesas dos policiais. Os policiais são acusados de homicídio duplamente qualificado e tentativa de torturas físicas e psicológicas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança


ÚLTIMAS HORAS PARA GARANTIR SUA ASSINATURA ANUAL COM 50% DE DESCONTO

Tenha acesso ilimitado a conteúdos exclusivos!

Análises de especialistas, coberturas sobre esporte, política, economia e muito mais.

ASSINE JÁ