Projeto vai destinar 5,2 milhões alevinos a reservatórios cearenses

Programa de peixamento no interior vai beneficiar cerca de 60 mil famílias ribeirinhas com uma safra estimada em mais de um milhão de tonelada de pescado

Legenda: Entre seis meses e um ano, espera-se uma produção de 1,1 mil tonelada de peixe
Foto: Honório Barbosa

Cerca de 60 mil famílias que moram no entorno de mil açudes públicos e comunitários no Sertão do Ceará serão beneficiadas com o projeto de peixamento dos reservatórios das espécies de tilápia, carpa, piau, curimatã e sardinha de água doce. O programa da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) será lançado nesta quarta-feira (7), na cidade de Crateús.

A SDA informou que neste ano serão distribuídos 5,2 milhões de alevinos das espécies mais comuns e apreciadas pelo sertanejo. O investimento será de R$ 538 mil. Entre seis meses e um ano, espera-se uma produção de 1,1 mil tonelada de peixe para a segurança alimentar das famílias assistidas com o projeto - agricultores de base familiar e pescadores artesanais.  

Hoje serão distribuídos 60 mil alevinos. Nos próximos dez dias, haverá peixamento de alevinos em Palhano (20 mil) e Alto Santo (20 mil), Morada Nova (10 mil) e Limoeiro do Norte (14 mil).

O titular da SDA, De Assis Diniz, frisou que a tilápia é o peixe mais consumido e vendável para o público cearense, mas os açudes “precisam de outras espécies ocupando outros níveis tróficos dentro da cadeira alimentar”.

O povoamento dos reservatórios públicos e comunitários visa repor o estoque de pescado perdido no longo período de estiagem entre 2013 e 2018. Já em 2019 e 2020, houve uma melhoria na distribuição pluviométrica no interior, beneficiando uma maior quantidade de açudes que registraram reposição de nível de água.

O retorno das boas chuvas fez com que a SDA ampliasse a colocação de alevinos nos pequenos açudes públicos e comunitários para a segurança alimentar da população ribeirinha e por também ser uma alternativa de renda familiar.

Para a presidente da Colônia de Pescadores de Iguatu (Z 41), Neide Chaves, entidade que tem 250 associados, a renovação dos estoques assegura “pesca para o consumo próprio”. Ela disse que a maioria dos agricultores e pescadores artesanais acredita que a quadra chuvosa de 2021 será bem favorável. “A nossa fé é que teremos um grande inverno no ano que vem”, acredita.

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Evanilson Saraiva, observou que o peixamento iniciado agora vai garantir pescado na Semana Santa de 2021. “Só precisamos de chuva para isso acontecer”, disse. “Todos nós estamos confiantes”

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará