Prefeitura de Jati pede reforço policial após relatos de furtos a residências vazias

Quatro seguranças da Prefeitura estão ajudando nas rondas pela cidade, confirmou a prefeita de Jati

Legenda: Após evacuação de cerca de 2 mil pessoas em Jati, a cidade registrou um fluxo bem menor de moradores no fim de semana.
Foto: Toni Sousa

A Prefeitura de Jati pediu reforço policial nesta segunda-feira (24) após registros de furtos a residências evacuadas na cidade. Dois mil moradores precisaram deixar suas casas após rompimento de uma tubulação na Barragem da Transposição do Rio São Francisco, na última sexta (21). 

“A gente tomou conhecimento disso (furtos a residências vazias) hoje pela manhã e já chamamos o comandante da Polícia Militar pedindo reforços. Também encaminhamos uma equipe de seguranças da Prefeitura composta por quatro pessoas, que estão realizando rondas na cidade, fazendo esse monitorando”, detalhou a prefeita do Município, Maria de Jesus Diniz.

Segundo a prefeita, o efetivo policial deve ser enviado ainda hoje para dar suporte às famílias, que já estão retornando ao local. Um total de 64 moradores do entorno da estrutura foram levados à uma pousada, em Brejo Santo, onde ainda estão - eles residem na área onde ficam 287 casas próximas à barragem e considerada de maior risco. Boa parte dos moradores já começam a voltar às suas residências.

Veja mais:

A prefeita de Jati disse que ainda não sabe informar o número de policiais que serão enviados e até quando permanecerão na cidade. A reportagem do Sistema Verdes Marares entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará questionando quantos policiais seriam demandados à cidade de Jati e até quando permaneceriam no local, mas não obtivemos retorno até a publicação desta matéria.

Furtos

A moradora Maria de Jesus, 46, que viveu a vida toda no Conjunto Dona Belarmina, próximo à barragem, confirma a ocorrência dos furtos. "Estão aproveitando (para levar os pertences dos moradores), já que as casas estão vazias. Aqui mesmo, há relatos de vizinhos", disse.

Em depoimento ao Sistema Verdes Mares, concedido ontem (23), o agricultor Antônio Andrade, que mora próximo à barragem, já havia alertado para os furtos na região. “Vim só dar de comer e água aos bichos. Já morreram bichos e também já roubaram. O pessoal é acostumado a roubar aqui”, explicou.

Ontem, o agricultor foi até o local somente para alimentar e dar água aos animais. Ao chegar na propriedade, percebeu que alguns bichos foram roubados na sua ausência. Ele está na casa do filho enquanto aguarda autorização para retornar à propriedade onde reside.

O regresso dos moradores está sendo parcial. Muitos relatam ter medo de voltar pra casa, mesmo os técnicos informando que a área não corre risco. "Ficamos com medo de acontecer alguma coisa. Estamos dormindo na casa do meu irmão, eu, meu esposo e meus dois filhos", relata Maria de Jesus.

"Todo mundo está com medo em Jati. Durante o dia passo em casa e à noite vou para o meu irmão. Algumas coisas já levei pra lá, caso aconteça desta barragem romper". 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará