Entrega de nove mil cestas de alimentos à indígenas deve ser finalizada nesta semana, afirma SPS

O material foi adquirido pela Funai e a logística de entrega no Estado está sendo realizada pela Secretaria da Proteção Social (SPS)

Covid em Indígenas
Legenda: Em junho, a Secretaria da Proteção Social, em parceria com Funai e Conab, entregou cestas básicas à famílias indígenas da Grande Fortaleza. Ao todo, serão 9.222 cestas de alimentos distribuídas entre as aldeias cearenses.
Foto: Divulgação/SPS

A entrega de 9.222 cestas com alimentos aos  povos indígenas no Ceará deve ser finalizada até o próximo dia 10. A medida visa a garantia alimentar destes povos tradicionais durante a pandemia da Covid-19. As cestas foram adquiridas pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e a logística de entrega é realizada pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS). A insegurança alimentar é uma das principais queixas das comunidades.

Segundo o último boletim da Secretaria Especial da Saúde Indígena, do Ministério da Saúde, divulgado neste sábado (5), o Ceará já soma 334 casos confirmados da Covid-19 em indígenas - destes, 85 estão infectados atualmente. Pelo menos quatro indígenas já perderam a vida por conta da doença, segundo a Sesai. Neste cenário, as Defensorias Pública do Estado e da União chegaram a expedir, em maio, recomendações com 16 pontos para entidades responsáveis.

Durante a pandemia, indígenas do Ceará receberam menos de R$ 0,05 por dia da Funai. Proporcionalmente, cada um dos 35.757 indígenas cearenses (segundo a Sesai), recebeu apenas R$ 3,82 nos 100 dias do período oficial da pandemia no Estado. 

O investimento não corresponde à situação preocupante da população originária no Estado, onde um indígena é capaz de transmitir a doença para mais de uma pessoa (1,10). A média do Ceará, para indígenas e não indígenas, é de 0,7, conforme dados da Sesa. Já a taxa de transmissão para a população indígena está descrita no Informe Epidemiológico Semanal, emitido pela Sesai na última quarta-feira, 1º. Índices superiores a 1 indicam que há transmissão ativa do vírus.

Distribuição

O recurso foi utilizado para distribuição de cestas de alimentos e kits de higiene pessoal. Desde a última segunda-feira (29), os kits estão sendo entregues nos municípios de Crateús, Novo Oriente, Quiterianópolis, Monsenhor Tabosa, Tamboril, São Benedito e Poranga, contemplando os povos Potiguara, Tupinambá, Kariri, Tabajara, Gavião, Kalabaça, Tubiba-Tapuia e Tapuia-Kariri, segundo informado pela SPS à reportagem.

Segundo a SPS, até 26 de junho, foram destinados 3.705 kits de alimentos para as etnias Anacé, Jenipapo Kanindé, Kanindé, Karao, Pitaguary, Tapeba e Tremembé, dos municípios da Grande Fortaleza, além de Canindé, Aratuba e Acaraú. "Temos 200 mil máscaras doadas pelo Itaú que já estão sendo entregues. Foram feitos folders explicativos com conscientização e orientação de saúde para indígenas, quilombolas, povos de terreiro e ciganos", informou a SPS.