TSE define acusação de Bolsonaro sobre fraude nas eleições como 'leviana e ofensiva'

O presidente da República voltou a defender o voto impresso e afirmar que o TSE está por trás de fraudes nos processos eleitorais

Presidente do TSE e ministro do STF, Luís Roberto Barroso
Legenda: O presidente do TSE Luís Roberto Barroso foi chamado de "idiota" e "Imbecil" por Bolsonaro nesta sexta (9), por defender o voto eletrônico
Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Após novas acusações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) indicando fraude nas eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nota nesta sexta-feira (9) afirmando que os ataques são "levianos e ofensivos". A corte reiterou que "qualquer atuação" para impedir o processo eleitoral configura "crime de  responsabilidade".

Defensor do voto impresso, Bolsonaro afirmou, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada nesta sexta, que "corremos risco de não termos eleições ano que vem". 

"Não tenho medo de eleições, entrego a faixa a quem ganhar, no voto auditável e confiável. Futuro de vocês que está em jogo", disse o chefe do Executivo Nacional.

O TSE afirma que, desde a implantação das urnas eletrônicas, em 1996, "jamais se documentou qualquer episódio de fraude". 

"Nesse sistema, foram eleitos os presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Jair Bolsonaro. Como se constata singelamente, o sistema não só é íntegro como permitiu a alternância no poder", diz a nota.

Ataques ao TSE

Bolsonaro ainda atacou o presidente da corte eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, a quem chamou de "idiota" e "imbecil" por defender o voto eletrônico. 

"A fraude está no TSE, para não ter dúvida. Isso foi feito em 2014", declarou o mandatário, repetindo a acusação infundada de que o então candidato Aécio Neves (PSDB) teria vencido o pleito contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A nota do TSE rebate a acusação, afirmando que o PSDB realizou auditoria no sistema de votação em 2014 e reconheceu que o resultado foi legítimo.

A presidência do TSE é exercida por Ministros do Supremo Tribunal Federal. De 2014 para cá, o cargo foi ocupado pelos Ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso. Todos participaram da organização de eleições. A acusação leviana de fraude no processo eleitoral é ofensiva a todos
TSE sobre acusações de Bolsonaro

O TSE ainda pontua que a Corregedoria-Geral Eleitoral já oficiou Bolsonaro para que ele apresente provas da suposta fraude que ocorreu em 2018, no processo eleitoral que o elegeu. No entanto, o TSE aponta que o presidente nunca respondeu.