Namorado de Flordelis diz que relação continua um mês após prisão: "é amor"

Ex-deputada federal está detida de forma preventiva pela morte do marido

Flordelis e Allan
Legenda: A ex-deputada federal Flordelis mantém o seu relacionamento atual mesmo presa há um mês
Foto: Reprodução Instagram

Apesar de seguir presa de forma preventiva pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, a ex-deputada federal e pastora Flordelis dos Santos de Souza mantém o seu relacionamento atual. Quem confirma o romance é o próprio namorado, o produtor musical Allan Soares, de 25 anos. As informações são do jornal Extra

"Continua, sim (o namoro). É amor", disse Allan, ao Extra, afirmando não poder dar mais detalhes sobre a situação.

O produtor costuma divulgar nas redes sociais momentos dos cultos religiosos que frequenta, além de compartilhar postagens de apoio à Flordelis.

Em uma das ocasiões, o jovem postou um trecho de uma canção da ex-deputada, com dizeres como "A realidade é dura".

"Jacó, enxugue as lágrimas. A realidade é dura, maior é a promessa. O seu José está guardado. Sei que existe a hora certa. Que o céu explica o que a terra nunca compreendeu", consta do trecho da música destacado por Allan.

Relacionamento

Flordelis e o produtor se conhecem há cerca de três anos, mas a relação teria começado no início de 2021. Em fevereiro último, os dois posaram juntos no aniversário de 60 anos dela. 

Em outra ocasião, durante uma live em seu Instagram, Flordelis falava com os seguidores sobre os compromissos de sua agenda e se dirigiu a Allan, que estava a seu lado, chamando-o de "amor".

Casal no aniversário de Flordelis
Legenda: Flordelis no seu aniversário de 60 anos
Foto: Reprodução Instagram

Prisão

pastora está detida desde o dia 13 de agosto, após o Ministério Público do Rio de Janeiro pedir sua prisão preventiva. 

O pedido aconteceu dois dias após a Câmara dos Deputados aprovar em plenário a cassação do mandato da agora ex-parlamentar. Foram 437 votos a sete. Doze parlamentares se abstiveram. 

Flordelis é ré por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada. Ela foi denunciada em agosto de 2020. 

Anderson foi morto a tiros dentro de casa, na madrugada de 16 de junho de 2019 em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Segundo a investigação, Flordelis planejou o homicídio e foi responsável por arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob a simulação de ter ocorrido um latrocínio. A deputada também financiou a compra da arma e avisou da chegada da vítima no local em que foi executada, de acordo a denúncia.

O motivo do crime, descreve a denúncia, seria o fato de a vítima manter rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida, não permitindo tratamento privilegiado das pessoas mais próximas a Flordelis, em detrimento de outros membros da numerosa família (ela tem 54 filhos).

Além de Flordelis, mais dez pessoas foram denunciadas pelo crime: sete filhos dela, uma neta, um ex-policial militar e a esposa dele.

 


Assuntos Relacionados