Fraturas de Joice Hasselmann seguem sob investigação da Polícia; entenda o caso

Deputada federal revelou hematomas na última sexta (23), alegando ter sofrido um atentado dentro de casa

Deputada federal Joice Hasselmann revela fraturas pelo corpo
Legenda: Joice Hasselmann teve cinco fraturas no rosto e uma na coluna
Foto: reprodução

O caso envolvendo a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que afirma ter sofrido atentado na madrugada do dia 18 de julho em Brasília, segue sob investigações da Polícia Legislativa da Câmara e da Polícia Civil.

A mais recente informação aponta que as câmeras de segurança do apartamento funcional de Hasselmann ainda não mostraram a entrada de nenhum suspeito no local. Entretanto, as dúvidas do caso ainda são diversas.

Suposto atentado

A deputada federal Joice Hasselmann veio a público para revelar fraturas e hematomas na última sexta-feira (23). Ela afirmou ter acordado em casa, no chão de um dos quartos, com o corpo machucado e em meio a uma poça de sangue.

Desde então, a Polícia Legislativa foi acionada para investigação do caso. Além disso, Joice contou que não possui lembranças da noite anterior, recordando apenas de ter assistido um episódio de uma série.

Ao todo, cinco fraturas foram constatadas no corpo da deputada após exames, junto de outra na coluna e vários outros traumas. Em nota, a assessoria relatou que uma queda acidental foi descartada pelos médicos inicialmente.

Acusações do caso

Mesmo com as informações de Joice apontando para um possível atentado, o marido da deputada, o neurocirurgião Daniel França, teve o nome levantado como de possível suspeito de agressões.

Em entrevistas, Hasselmann negou veementemente as acusações em questão. "Estão tentando desviar o foco e colocar o meu marido em suspeição. Quem me conhece e conhece o Daniel sabe que é muito mais fácil eu dar uma sova nele do que ele ousar levantar a mão para mim", disse.

Legenda: Casal descarta qualquer possibilidade de violência doméstica
Foto: reprodução/TV Globo

A deputada ainda informou que o marido teria sido a primeira pessoa a socorrê-la na manhã do domingo (18). Ele teria requisitado que ela fizesse uma série de tomografias para identificar quais as lesões no corpo.

"É uma canalhice tentarem envolvê-lo nesse episódio. Isso tem um intuito de criar uma cortina de fumaça para que não se descubra a verdade", alegou Joice.

Nomes de suspeitos

No dia 25 de julho, Joice comentou ter fornecido à Polícia o nome de dois suspeitos do possível ataque. Conforme informações dela, um deles teria acesso direto ao prédio.

"Eu dei dois nomes à polícia. São desconfianças, mas eu não vou acusar, pois são casos recentes. Eu passei para a polícia, e eles vão investigar", disse ao jornal Correio Braziliense.

Na ocasião, ela voltou a citar que acredita em um atentado, mas não descartou hipótese de acidente. Até então, nenhuma entrada suspeita foi identificada no edifício.

"Não é impossível que tenha acontecido isso. Porém, como é pouco provável, decidimos pedir a investigação. Até porque não é de hoje que sofro ameaças de morte", contou.