Blogueiro cearense Wellington Macedo é preso pela PF por inquérito sobre ataques à democracia

Macedo foi preso em um hotel em Brasília nesta sexta (3)

Cearense Wellington Macedo em evento da aliança pelo brasil
Legenda: Jornalista cearense é investigado pela PF
Foto: Reprodução/Facebook

O blogueiro cearense Wellington Macedo foi preso pela Polícia Federal (PF) na tarde desta sexta-feira (3), no âmbito do inquérito que investiga ataques antidemocráticos. A prisão do jornalista foi solicitada pelo Ministério Público Federal e autorizada por Alexandre de Moares, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Macedo, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi preso em um hotel em Brasília, segundo apuração da TV Globo. Ele é investigado por ameaças relacionadas ao caso do cantor Sérgio Reis, que atacou o STF e incitou greve de caminhoneiros. 

"A medida, cumprida em Brasília, tem o objetivo de aprofundar investigações em curso nos autos de inquérito que tramita naquela Corte", informou a PF em nota ao portal G1

Zé Trovão

Segundo o jornal O Globo, a Polícia Federal ainda faz buscas, nesta sexta, para localizar o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, para cumprimento de um segundo mandado de prisão. Ele também é suspeito de articular ato antidemocrático na terça-feira, 7 de setembro.

Redes sociais bloqueadas

Uma publicação feita no Facebook de Wellington Macedo nesta sexta informa que as redes sociais dele foram bloqueadas. "Mas não vão conseguir calar a sua voz", diz o comunicado.

A nota foi acompanhada de um vídeo do blogueiro e jornalista criticando as manifestações de indígenas em Brasília contra o marco temporal de terras.

Investigação 

No último dia 20 de agosto,  a PF cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pelo STF para endereços ligados ao deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) e ao cantor Sérgio Reis.

Um dos 13 mandados expedidos foi cumprido no Ceará, para investigar Wellington Macedo, que chegou a ocupar cargo no Ministério da Mulher da Família e dos Direitos Humanos, no governo Bolsonaro. 

Em sua conta no Instagram, o cearense se diz "fundador da Marcha da Família Cristã pela Liberdade".

Macedo fez postagens em apoio às declarações de cunho ameaçador do cantor Sérgio Reis em relação a uma possível mobilização de caráter autoritário, no dia 7 de setembro, propondo a retirada à força de ministros do STF.