Por falta de doses, Fortaleza parou vacinação contra Covid parcial ou totalmente pelo menos 4 vezes

Quantidade insuficiente de imunizantes enviados pelo Governo Federal impediu avanço da campanha em fevereiro, abril e duas vezes em julho

Escrito por Theyse Viana, theyse.viana@svm.com.br

Metro
Vacinação Fortaleza
Legenda: A estimativa do Ministério da Saúde é de que no Ceará, cerca de 6,7 milhões de habitantes sejam vacináveis.
Foto: Thiago Gadelha

Quem aguarda a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Fortaleza teve a espera prolongada pela paralisação da aplicação, neste fim de semana. É pelo menos a quarta vez que a campanha tem um freio parcial ou total na Capital devido à falta de novas doses.

O levantamento foi feito pelo Diário do Nordeste, com base nas listas de agendamento e em comunicados oficiais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Questionada sobre o assunto, a Pasta não se pronunciou até esta publicação.

Entre 19 e 25 de fevereiro, a vacinação de idosos de 75 anos com a 1ª dose (D1) teve uma pausa, pelo número insuficiente de insumos. A campanha seguiu com a aplicação em profissionais de saúde, e foi regularizada no dia 25, após a chegada de 20.190 novas doses da vacina AstraZeneca/Oxford.

Em 29 de abril, mais um desabastecimento atrasou a imunização, resultando na paralisação do uso da Coronavac, por esgotamento do estoque. Parte da população chegou a ter atraso no recebimento da 2ª dose da vacina, até novos lotes serem enviados pelo Ministério da Saúde. 

Em julho, a baixa quantidade de doses destinadas pelo Governo Federal ao Ceará já impôs duas pausas no processo: uma no dia 9, quando não houve vacinação com D1 na cidade, e a outra nestes sábado (17) e domingo (18).

Desabastecimento de doses

Por meio das redes sociais, o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, informou, na sexta-feira (16), que o Município está “aguardando envio de novos lotes para retomar agendamentos de 1ª dose”, já que o último “foi destinado à 2ª dose”.

Em nota, o Ministério da Saúde destacou que “as entregas seguem conforme o cronograma previsto e, entre os meses de julho e de agosto, a distribuição deve ultrapassar 100 milhões de doses” no País.

A secretária de saúde da cidade, Ana Estela Leite, afirmou, neste mês, que a prefeitura tem capacidade de agendar até 241 mil aplicações de vacinas por semana, e que se houvesse distribuição regular de doses, a fila de espera seria zerada em duas semanas.

A gestora alerta que, diante desse cenário de escassez de imunizantes, a população precisa ter consciência e respeitar cada agendamento, para que a campanha siga com mais celeridade.

A melhor vacina é a que chega pra você. Você não pode escolher vacina, tem que priorizar a data, horário e local corretos do seu agendamento.
Ana Estela Leite
Secretária de Saúde de Fortaleza

Assuntos Relacionados