Parte dos lojistas do Casarão volta a trabalhar: 'É um recomeço', diz permissionária

Incêndio de grandes proporções desalojou comerciantes do centro comercial destruído pelo fogo no sábado (5)

Uma semana após o Casarão dos Fabricantes ter sido destruído por um incêndio de grandes proporções no Centro de Fortaleza, parte dos feirantes que tiveram suas mercadorias perdidas voltou a trabalhar neste sábado (12), no Feirão São José, nas imediações do antigo local.

Cerca de 100 permissionários decidiram retomar as atividades em dois centros comerciais, na Catedral Empreendimento e no Feirão São José. Os demais vão levar seus boxes para um empreendimento na Rua Rufino de Alencar, também no Centro. Os locais foram decididos em reuniões durante a semana. 

Em entrevista ao Sistema Verdes Mares, a permissionária Sandra Matias, que tinha um box no Casarão, contou que perdeu toda a mercadoria, além de manequins e móvei, mas fala em recomeço. 

"É um recomeço, né? Que a gente perdeu tudo, a gente está recomeçando devagarzinho, divulgando para os clientes, já colocamos no Instagram o novo endereço, um telefone também pra contato", conta. "Tudo que eu tinha investido lá, eu perdi tudo. De mercadoria, de manequim, de balcão, de tudo. Perdeu-se tudo", acrescenta.

A funcionária de uma loja do antigo Casarão, Andreia Freire, contou que chegou a chorar pelo medo de ficar desempregada. "Fiquei com muito medo de perder o emprego", conta. Comecei logo a chorar por que foi tudo perdido, né? Mas graças a Deus, a nossa mercadoria, a gente recuperou", disse.

O incêndio

Piso, portas, janelas e o telhado do Casarão dos Fabricantes foram consumidos pelo fogo no sábado (5), restando praticamente apenas as paredes externas do prédio histórico que abrigava o centro comecial, localizado na Avenida Alberto Nepomuceno com a Rua Rufino de Alencar, no Centro de Fortaleza

Legenda: Incêndio de grandes proporções atinge Casarão dos Fabricantes, no Centro de Fortaleza
Foto: Paulo Sadat

Devido à intensidade das chamas, o Corpo de Bombeiros do Ceará precisou impedir que o incêndio atingisse a Catedral de Fortaleza e o Mercado Central, prédios vizinhos ao imóvel. Manequins e mercadorias que não chegaram a ser atingidos pelas chamas foram retirados da edificação e empilhados na calçada, em frente ao Mercado Central. 

De acordo com o coronel Cleiton Bezerra, comandante geral adjunto do Corpo de Bombeiros, uma parte do prédio apresentou "rachadura significante" e o piso do Casarão, que era todo de madeira, já ficou completamente destruído e com um abismo para o subsolo no interior do edifício. Por conta do risco, nenhum bombeiro pode entrar no local.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 19 de Outubro de 2020
Redação 18 de Outubro de 2020