Fiscalização interdita quatro estabelecimentos nos primeiros dias de lockdown em Fortaleza

Agentes da AMC supervisionaram mais de 8,5 veículos em ações no trânsito da Capital

Também foi feita a instalação de gradis na Beira-Mar de Fortaleza para evitar aglomerações.
Legenda: Também foi feita a instalação de gradis na Beira-Mar de Fortaleza para evitar aglomerações
Foto: Agefis/Divulgação

A fiscalização a estabelecimentos durante os primeiros dias de lockdown em Fortaleza visitou 53 estabelecimentos, resultando em nove autuações e quatro interdições, conforme balanço da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) divulgado na manhã desta segunda-feira (8). As ações ocorrem por força dos decretos estadual e municipal de isolamento social rígido para contenção da Covid-19.

A Agefis  atuou contra feiras livres, também proibidas pelo decreto. O órgão encerrou feiras nos bairros São Cristóvão, Parangaba e Messejana e distribuiu máscaras para pessoas que circulavam nos locais sem o item. Além disso, o órgão realizou trabalho preventivo quanto a algumas feiras que ainda seriam iniciadas, chegando a parar, no período da madrugada, montagem de estruturas a serem utilizadas para venda.

A fiscalização também apreendeu paredões de som em vias públicas, os quais estão proibidos, e reforçou que a utilização de espaços públicos como areninhas e calçadões está vedada. 

Fiscalização no trânsito

A superintendente da Autarquia Municial de Trânsito e Cidadania (AMC), Juliana Coelho, destacou a fiscalização por meio de blitze em todos os turnos e barreiras sanitárias nos principais acessos à Capital. No período, o órgão, segundo ela, realizou cerca de 30 blitze e supervisionou mais de 8,5 mil veículos.

Juliana Coelho também indicou a existência de bloqueios à Avenida Beira Mar, uma vez que ainda havia pessoas buscando o calçadão da orla, e fiscalização dentro de ônibus. As ações contaram com outras forças de segurança, como Polícia Militar do Ceará (PMCE), Polícia Civil do Ceará (PCCE) e Corpo de Bombeiros.

"A gente percebeu que, apesar de todas essas frentes, foi um fim de semana tranquilo [...]  A gente tem percebido que as pessoas têm feito sua parte", pontuou Juliana, acrescendo que os agentes atuaram em "várias frentes de trabalho", incluindo blitze educativas, buscando levar palavras de orientação para as pessoas.

Os dois representantes reforçaram a necessidade de seguimento do decreto por parte da população para que o número de casos do novo coronavírus diminua. "Não é fácil estar em casa direto, mas isso é importante para que a gente possa superar e reduzir esses números", finalizou Neuvanir.

Como denunciar descumprimento ao decreto

A população pode denunciar casos de descumprimento das medidas de prevenção e controle da Covid-19 por meio dos telefones:

  • Vigilância Sanitária do Estado do Ceará e Central da Plataforma Ceará Transparente: 150, 3252-2155, 3252-1571 e 3252-1587
  • Ouvidoria Geral do SUS e Ministério da Saúde: 136  
  • Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE): 127 ou 0800.28.11.553 
  • Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops): 190
  • Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis): telefone 156 e site denuncia.agefis.fortaleza.ce.gov.br
Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza