Conselho Municipal de Educação recomenda retorno das aulas de forma escalonada

Parecer do CME determinou série de orientações a serem adotadas pelo Sistema Municipal de Ensino de Fortaleza

Legenda: Escolas devem adotar protocolos para retomada das atividades presenciais
Foto: Natinho Rodrigues

Em parecer aprovado nessa quarta-feira (5), o Conselho Municipal de Educação recomendou o retorno das aulas de forma escalonada, bem como uma série de orientações para o retorno às atividades presenciais das instituições de ensino do Sistema Municipal de Ensino de Fortaleza diante do cenário da pandemia. 

Os protocolos devem ser adotados pelas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental como forma de evitar o contágio do novo coronavírus.  

“Diante dos desafios da pandemia, é preciso definir diretrizes e medidas sensatas que possam apoiar respostas educacionais eficazes para proteger os direitos de aprendizagem e mitiguem os impactos do isolamento social, de forma a garantir a continuidade do processo de aprendizagem e a implementação do calendário escolar de 2020”, explicou o documento.  

Além da retomada gradual, o CME também recomenda a adoção do modelo híbrido de ensino, que mescla atividades presenciais e remotas. Para o Conselho, o retorno deve ocorrer com o revezamento dos alunos por turma, dias e/ou semanas. 

As orientações também se estendem aos espaços físicos, com a instalação de pias e lavatórios, por exemplo, para a higienização adequada. Outra recomendação é organizar o uso de materiais didáticos, brinquedos e jogos de modo a evitar o compartilhamento.  

De acordo com o parecer do Conselho, a jornada diária das escolas deve ser reduzida, caso necessário. Entre as medidas pedagógicas determinadas, há a orientação de reordenar a trajetória escolar, se necessário, para o cumprimento dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento, relativos ao ano letivo afetado e ao ano letivo subsequente.  

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute) se demonstrou contrário ao parecer, já que não apoia o retorno das atividades presenciais neste ano. "Nós temos assento no Conselho e nos abstivemos da votação, pois a nossa posição é de não retorno. É uma exposição muito grande para uma doença ainda pouco conhecida, são muitos riscos", explica a presidente do sindicato, Ana Cristina Guilherme.

Retorno das atividades 

O retorno das atividades presenciais nas escolas, previsto para a Fase 4 do plano de retomada, foi adiado e a previsão é de que aconteça no mês de setembro, conforme anunciado no último sábado (1º) pelo governador Camilo Santana e o prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio, a depender dos resultados dos próximos boletins epidemiológicos.  

O governador ainda pontuou que a retomada presencial poderá ser de escolha dos pais e responsáveis. "Os pais e alunos terão a garantia da continuidade do atendimento remoto por conta das unidades escolares e universitárias. Esse é um processo de importante discussão. Vamos manter o mês de agosto aprofundando essa discussão com o comitê e os cientistas", explicou.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da cidade de Fortaleza?


Redação 23 de Setembro de 2020