Atendimentos por síndromes gripais crescem 117% nos postos de Fortaleza entre janeiro e fevereiro

Orientação da Secretaria Municipal da Saúde é que apenas quadros leves motivem ida às unidades básicas. Casos moderados e graves devem ser levados às UPAs.

Legenda: Segundo o prefeito Sarto, somente nesta quinta-feira (4), os postos de saúde da Capital registraram 2 mil pessoas com sintomas de síndrome gripal
Foto: José Leomar

Em fevereiro, os 116 postos de saúde distribuídos nos bairros de Fortaleza registraram 20.549 atendimentos a pacientes com sintomas de síndromes gripais, que podem ou não estar relacionados à infecção por Covid-19. O número é 117% maior do que os 9.454 contabilizados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em janeiro. 

Os dois meses coincidem com o início do período chuvoso na Capital e, segundo especialistas, com a maior circulação de vírus respiratórios na cidade, como o da influenza e o vírus sincicial respiratório (VSR). A principal preocupação é como as enfermidades podem interagir no organismo humano.

No fim de fevereiro, a consultora de vendas Liliane Nunes precisou procurar uma unidade básica de saúde no bairro Vicente Pinzón, onde mora, depois de apresentar dores de garganta e no corpo, febre e vômito.

No local, ela constatou uma grande quantidade de pessoas buscando atendimento com sintomas respiratórios. “Chegou uma criança de 9 anos com muita falta de ar, que ficou numa sala isolada. E tinha pessoas também com tuberculose”, lembra.

“O posto está passando por um momento difícil, só está atendendo realmente quem esteja com sintomas da Covid. Algumas consultas marcadas foram canceladas”, percebe Liliane.

A consultora conseguiu ser atendida, foi medicada e chegou fez seu primeiro teste para Covid-19, embora relate que está há “mais de 10 meses sem sentir cheiro ou gosto”, um dos sintomas da doença. Atualmente, aguarda o resultado em casa. 

Atendimentos mês a mês

Outubro de 2020 – 5.969
Novembro de 2020 – 7.381
Dezembro de 2020 – 8.435
Janeiro de 2021 – 9.454
Fevereiro de 2021 – 20.549

A SMS reforça que os primeiros meses do ano “são períodos em que as gripes, resfriados e alergias são comuns, causando o aumento de atendimentos gripais”. A Pasta garante que, nos postos, segue o atendimento preferencial a idosos, lactantes, gestantes e pessoas com deficiência.

“Os 116 postos de saúde acolhem casos leves e estão equipados também com oxímetros, para auxiliar no diagnóstico precoce de comprometimento pulmonar do paciente, assim como suporte laboratorial e farmacêutico cumprindo o protocolo vigente”, completa.

VACINÔMETRO NO CEARÁ | COVID-19

Semana Intensa

O prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, em entrevista hoje ao Sistema Verdes Mares, reforçou a busca por atendimento. Segundo ele, somente nesta quinta-feira (4), os postos de saúde da Capital registraram 2 mil pessoas com sintomas de síndrome gripal. A maioria recebeu o diagnóstico para infecção pelo novo coronavírus.  

"Mil pessoas que procuram os postos de saúde é algo que normalmente acontece na segunda-feira, por que, via de regra, os postos estavam fechados no fim de semana", revelou o gestor municipal, que completou informando que haverá postos de saúde abertos no sábado (6) e no domingo (7) para receber casos suspeitos de Covid-19. 

Casos graves para UPAs

A coordenadora das Regionais em Saúde da Capital, Fabiana Sales, orienta à população que os postos de saúde devem ser procurados para casos leves de síndrome gripal.

Para casos de moderados a graves, a recomendação é buscar Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade. 

“Lembrando que a forma mais eficaz de combater o vírus é com as medidas de proteção: usar máscara, manter o distanciamento social, só sair de casa para serviços essenciais e continuar com o álcool em gel e sabão para rotina de lavagem das mãos”, explica.

Fabiana Sales afirmou ainda que a Prefeitura tem ampliado leitos de UTI e enfermaria exclusivos para Covid-19 em unidades de atenção secundária e terciária. 

No Frotinha de Messejana, por exemplo, foram ativados 62 leitos, sendo 50 de enfermaria e 12 de UTI. Já no Instituto Dr. José Frota (IJF) 2, mais 10 UTIs ampliaram a capacidade total para 60 leitos de alta complexidade.

Lockdown em Fortaleza

Nesta sexta-feira (5), a Capital cearense entrou na fase de isolamento social rígido pela segunda vez em menos de um ano. Conforme o novo decreto estadual, apenas serviços essenciais estão funcionando, e a saída de casa precisa ser justificada.

Com a medida, foram suspensas as atividades presenciais em academias, lojas de ruas, shoppings, bares e restaurantes. 

Já em supermercados e farmácias, apesar do funcionamento estar permitido, a nova determinação estadual aponta que a autorização para operar deve respeitar as medidas sanitárias, como uso de máscara e distanciamento, assim como a liberação de apenas uma pessoa por família

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza