Sites do Ministério da Saúde e Conecte SUS sofrem ataque cibernético e ficam fora do ar

Hackers escreveram que os portais tiveram um tipo de vírus e que os dados foram copiados e excluídos

Site do Ministério da Saúde sofre ataque cibernético
Legenda: "Agente invasor" atua codificando os dados do sistema operacional para que os usuários não tenham mais acesso
Foto: Reprodução

O site do Ministério da Saúde sofreu um ataque cibernético e ficou fora do ar na noite dessa quinta-feira (9). No portal, os hackers escreveram que a página teve um "ransomware" e que "50 TB de dados foram copiados e excluídos". As informações são do G1.

Ransomware é um tipo de malware (vírus) que se apropria do material contido na máquina da vítima e cobra uma quantia em dinheiro pelo resgate do conteúdo, geralmente usando a moeda virtual bitcoin, para dificultar o rastreamento do criminoso.

Dessa forma, esse tipo de "agente invasor" atua codificando os dados do sistema operacional para que os usuários não tenham mais acesso.

Conecte SUS

Além do site do Ministério da Saúde, o portal Conecte SUS, que emite o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, e de interação com Sistema Único de Saúde (SUS) - vinculado à pasta - , também sofreu ataque cibernético. Ele está fora do ar e exibe a mesma mensagem.

No entanto, o aplicativo do Conecte SUS usado em aparelhos celulares não foi afetado.

O Lapsus$ Group assumiu a autoria da situação e informou: “Nos contate caso queiram o retorno dos dados”. O Ministério da Saúde não emitiu posicionamento oficial sobre o caso.

Na manhã desta sexta-feira (10), o site do Ministério da Saúde continuava fora do ar. E o portal do Conecte SUS não permitia o acesso dos usuários - prejudicando usuários que necessitam do certificado de vacinação.

Site da Anvisa também já foi hackeado

Em setembro deste ano, o site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também sofreu um ataque cibernético.

Por um tempo, o endereço exibiu uma bandeira argentina e uma mensagem provocativa sobre o jogo entre Brasil e Argentina: "Vão nos expulsar também?". 

Naquele mês, a Agência interrompeu a partida por descumprimento de protocolos de saúde referente à pandemia de Covid-19 por quatro jogadores da seleção argentina.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil