Anvisa interrompe jogo entre Brasil e Argentina por descumprimento de protocolos de saúde

Atletas passaram pelo Reino Unido, mas omitiram essa informação para conseguir desembarcar no Brasil

Anvisa interrompe partida entre Brasil e Argentina por descumprimento de protocolos de saúde
Legenda: O jogo foi parado aos 4 minutos e 50 segundos
Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interrompeu a partida entre Brasil e Argentina, que estava marcada para 16h deste domingo (5), na Neo Química Arena, em São Paulo, por descumprimento de protocolos de saúde referente à pandemia de Covid-19 por quatro jogadores da seleção argentina.

O jogo foi parado bem no início, aos 4 minutos e 50 segundos. Agora, o árbitro está no vestiário do local aguardado alguma decisão das autoridades.

De acordo com a Agência, Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias, mas esconderam essa informação, já que o Brasil não aceita passageiros que passaram pelo país europeu neste período por causa da pandemia de Covid-19.

Assim, eles foram suspensos da partida contra o Brasil pelas Eliminatórias da Copa porque entraram irregularmente no país.

No entanto, na tarde deste domingo (5), a Conmebol e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entraram em contato com Governo Federal para administrar a situação. Os jogadores, que estavam ameaçados de deportação, foram anunciados como nomes que estariam na partida.

'Sequência de descumprimentos'

Em entrevista à TV Globo, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse que os jogadores colocaram na declaração de saúde, documento apresentado ao entrar em território nacional, que não passaram pelo Reino Unido, África do Sul e Índia, restritos na contenção da pandemia.

No entanto, entre a noite de sábado (4) e este domingo (5), foi constatado no passaporte deles que os jogadores haviam passado pelo Reino Unido nos últimos 14 dias.

"Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou desde o primeiro momento não foi cumprido. Quando a situação foi identificada, esses jogadores tiveram a orientação de permanecer isolados para aguardar a deportação. Entretanto, eles se deslocaram até o estádio e entraram em campo. Foi uma sequência de descumprimentos", afirmou.

Sem jogo 

A Conmebol informou, em post nas redes sociais, que o jogo entre Brasil e Argentina foi suspenso. A Fifa irá determinar o que ocorrerá na sequência, diz o comunicado.

A instituição afirma que o jogo foi suspenso por decisão do árbitro e lembra que as Eliminatórias da Copa do Mundo são organizadas pela Fifa. 

Susto

Em entrevista ao SporTV, o presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodrigues, falou que "todos levaram um susto". Na ocasião, ele considerou "lamentável" o episódio que aconteceu e acrescentou que o fato "causou muita estranheza deixar para depois que o jogo se iniciasse".

"Brasil e Argentina desperta o interesse de todo mundo. Há três dias, pelo que tomamos conhecimento, a Anvisa já estava acompanhando a seleção da Argentina. 

"Em momento algum a CBF foi parte, por quem quer que seja, com relação a qualquer negociação para retirar atletas da equipe. Muito pelo contrário, a CBF respeita as normas sanitárias, isso seria uma situação da Conmebol com a Anvisa. Ainda antes da partida se iniciar, o delegado da partida disse que poderiam jogar, para depois serem deportados. Mas depois, por um motivo que a CBF não conhece, mudaram", completou.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte