Veja o que se sabe até agora sobre o caminhão encontrado com 50 corpos mortos no Texas

Caso é tido pela imprensa norte-americana como "o contrabando humano mais mortal da história moderna dos EUA"

Vista de cima de caminhão abandonado em San Antonio.
Legenda: Imigrantes estavam presos dentro de caminhão abandonado em San Antonio, cidade norte-americana que faz fronteira entre o Texas e o México.
Foto: Jordan Vonderhaar/Getty Images North America via AFP

Mais de 45 imigrantes foram achados mortos dentro de um caminhão abandonado em San Antonio, no Texas, na fronteira com o México. O caso é tido pela imprensa norte-americana como o “contrabando humano mais mortal da história moderna dos Estados Unidos”.

Presos no caminhão, sob um calor escaldante de 39,5ºC, estavam homens, mulheres e crianças. Dentre os mortos, cujo número subiu para 50 na manhã desta terça-feira (28), quase a metade (22) era do México, sete eram da Guatemala e dois eram de Honduras. As autoridades ainda investigam as nacionalidades das 19 vítimas restantes.

Além disso, segundo o site NBC News, com informações do chefe de Polícia de San Antonio, William McManus, três pessoas foram detidas após a descoberta do caminhão. Suas identidades não foram reveladas e a relação com o crime de contrabando humano ainda está sendo apurada.

A seguir, veja o que se sabe até então sobre a tragédia.

O que aconteceu?

Na noite desta segunda-feira (27), autoridades policiais do Texas encontraram mais de 50 corpos de imigrantes enclausurados em um caminhão abandonado em San Antonio, uma cidade norte-americana que faz fronteira com o México.

De acordo com o NBC News, o veículo estava em uma área subdesenvolvida do sudoeste de San Antonio, próximo a uma ferrovia. Os policiais foram acionados por um trabalhador da região que disse ter ouvido um pedido de ajuda e viu pelo menos um corpo.

Inicialmente, ao chegar ao local, as autoridades norte-americanas contaram 46 imigrantes mortos dentro do caminhão. Eles estariam sem acesso à água e teriam morrido de insolação.

Pelo menos 16 sobreviventes foram resgatados e levados a um hospital próximo. Segundo McManus, eles estavam “quentes ao toque”. “Estavam sofrendo de insolação, exaustão”, afirmou o chefe da polícia local.

Quantas pessoas morreram?

Os policiais contaram, inicialmente, 46 mortos. Outros 16 que já estavam quase sem resistir foram levados para um hospital ainda na noite desta segunda (27). Na manhã desta terça (28), porém, o presidente mexicano, Andrés López Obrador, informou que o número de vítimas subiu para 50.

Como estão as investigações?

Três pessoas foram detidas após a descoberta do caminhão. Suas identidades não foram reveladas e a polícia local ainda apura o envolvimento dos suspeitos com o caso.

As investigações miram contrabandistas de pessoas, considerados pelas autoridades "indivíduos insensíveis que não têm consideração pelas pessoas vulneráveis que exploram e colocam em perigo para ter lucro".

Segundo McManus, a causa da morte das vítimas está provavelmente ligada ao calor sentido por elas. Dentro do caminhão, as temperaturas estavam mais elevadas do que na parte externa do veículo, segundo os policias.

O que as autoridades políticas disseram?

A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, disse que estava "acompanhando de perto" as "informações absolutamente terríveis" de San Antonio.

Em entrevista coletiva, o prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg, disse que estava enfrentando "uma horrível tragédia humana". "Esperamos que os responsáveis por colocar estas pessoas em condições tão desumanas sejam processados em todo o rigor da lei", continuou.

Nesta terça (28), o papa Francisco expressou sua "dor" pelas tragédias com migrantes, em referência ao que aconteceu no Texas e às mortes de dezenas de pessoas na semana passada quando tentavam entrar na cidade espanhola de Melilla.

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados