O que se sabe sobre nova variante da Covid-19 detectada na África do Sul

Até o momento, 23 caso da mutação foram identificados

Variante da Covid-19
Legenda: Uma nova variante do coronavírus foi identificada por cientistas sul-africanos
Foto: Shutterstock

A nova variante da Covid-19, detectada pela primeira vez na África do Sul, é uma preocupação global, sobretudo, por ser muito contagiosa e com múltiplas mutações. Agora, a corrida dos cientistas é para entender melhor as característica dessa cepa e como enfrentá-la. Mas ainda pouco se sabe. 

Nesta sexta-feira (26), o porta-voz da  Organização Mundial da Saúde (OMS), Christian Lindmeie, afirmou que várias semanas serão necessárias para compreender o nível de transmissão e a virulência desta nova variante.

Segundo o virologista Túlio de Oliveira, a variante B.1.1.529 apresenta um número "extremamente alto" de mutações e "em potencial para se espalhar muito rapidamente".  

Especialistas da OMS classificaram a variante como "preocupante" e definiram que ela será chamada de Ômicron, em referência à 15ª letra do alfabeto grego.

Por que ela é mais contagiosa?


As mutações do vírus inicial podem potencialmente torná-lo mais transmissível a ponto de torná-lo dominante. Foi o que ocorreu com variante delta, registrada inicialmente na Índia e que, segundo a OMS, reduziu a eficácia das vacinas em termos de transmissão do vírus para 40%. 

As vacinas disponíveis são eficazes contra ela?
 

Por enquanto, os cientistas sul-africanos não têm certeza da eficácia das vacinas existentes contra a nova forma do vírus. 

"O que nos preocupa é que esta variante pode não só ter uma capacidade de transmissão aumentada, mas também ser capaz de contornar partes do nosso sistema imunológico", disse outro pesquisador, o professor Richard Lessells.


Quantos casos foram registrados?  
 

Até o momento, foram registrados 23 casos, afetando principalmente jovens, de acordo com o Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis (NICD). Também foram relatados casos na vizinha Botswana e em Hong Kong, em uma pessoa que voltava de uma viagem à África do Sul. Na Europa, o primeiro caso foi detectado na Bélgica, com um paciente vindo do Egito.

Destes, um foi detectado em Israel. Segundo o ministro da Saúde israelense, a pessoa veio de Malauí. 

 

Telegram

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados