Dez países já suspenderam a vacina AstraZeneca contra Covid; OMS monitora, mas ainda recomenda uso

Coágulos sanguíneos foram constatados em pessoas após a aplicação do imunizante. Casos são investigados

Vacina da AstraZeneca, que está sendo proibida em diversos países
Legenda: OMS realizará reunião com cúpula de especialistas para tratar da segurança da vacina
Foto: Thomas Kenzle/AFP

Subiu para dez o número de países que suspenderam o uso da vacina AstraZeneca/Oxford contra a Covid-19 devido à suspeita de coágulos sanguíneos após a aplicação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que investiga os casos, mas segue recomendando o produto. 

Nesta terça-feira (16), o órgão se reúne com grupo de especialistas para analisar a segurança do imunizante. "Até o momento", a OMS disse não encontrar ligação entre os casos de coagulação pós-vacina e o uso da AstraZeneca.  A Dinamarca foi o primeiro país a suspender, como medida preventiva, na última quinta-feira (11),

Saiba quais países já suspenderam o uso da AstraZeneca/Oxford

  • Dinamarca
  • Noruega
  • Islândia 
  • Bulgária 
  • Irlanda
  • Holanda
  • França 
  • Itália 
  • Alemanha
  • Espanha

A médica brasileira, Mariângela Simão, vice-diretora geral da OMS afirmou que "segundo o que temos visto até agora nos dados preliminares, não há aumento do número de casos de episódios tromboembólicos". Ela é encarregada da distribuição e acesso a remédias na organização.

Coletiva de imprensa em Genebra, Suíça, foi realizada pela OMS nesta segunda para tratar sobre os relatos de coágulos sanguíneos da vacina.

"Não queremos que as pessoas entrem em pânico e, por enquanto, recomendamos que os países continuem a vacinar com a AstraZeneca", declarou Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS.

AstraZeneca é alternativa mais barata

Mais de 373 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus foram administradas em todo o mundo. A da AstraZeneca, uma das mais baratas, é crucial para as nações mais pobres, mas na Europa vários países que usavam suspenderam sua aplicação por medo de que ela provoque trombos, o que não foi comprovado.

Atraso de vacinação

A Tailândia e a República Democrática do Congo (RDC) anunciaram que decidiram atrasar o começo da vacinação com a AstraZeneca devido aos problemas relatos. O inicio das campanhas nestes países estava prevista para sexta da semana passada e segunda-feira desta semana, respectivamente.

A Indonésia também decidiu adiar o lançamento de sua campanha de vacinação com a AstraZeneca por precaução.

Vacina da AstraZeneca/Oxford no Brasil 

No Brasil, a AstraZeneca já é aplicada contra a Covid-19 desde o início da campanha de vacinação em janeiro. O imunizante inclusive tem autorização para ser produzido no País.

Se somados às 15 milhões que já estão sendo fabricadas, serão entregues, até maio, um total de 45 milhões de doses da vacina de Oxford ao Brasil. 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou na sexta (12) o registro definitivo da vacina de Oxford/AstraZeneca, o que permitirá à Fiocruz já liberar as doses diretamente para uso do Programa Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo