Mulher registra BO contra urologista por assédio em consulta em Salvador: 'psicológico prejudicado'

Paciente afirmou que o médico a tocou na maca, tentou beijá-la e a convidou para sair

assédio sexual na Bahia
Legenda: Caso está sendo investigado pela Polícia Civil da Bahia
Foto: Divulgação

Uma mulher registrou Boletim de Ocorrência (BO) contra um médico urologista que a assediou e constrangeu durante uma consulta em Salvador. A paciente relatou que o médico pegou suas partes íntimas, tentou beijá-la e a chamou para sair. Depois de tomar conhecimento da queixa, o profissional pediu para a vítima não o "prejudicar".

Conforme o G1, a mulher se sentiu molestada e reclamou ao médico por meio de mensagens sobre a conduta dele no atendimento. O urologista, por sua vez,  disse ter sido um mal-entendido e queria pedir desculpas pessoalmente.

A paciente afirmou que não voltaria ao consultório sabendo do desejo dele de sair com ela. "Tentar me tocar na maca me fez sentir completamente assediada, foi muita falta de ética", escreveu.

Mensagens enviadas um dia depois

Em novas mensagens enviadas no dia seguinte, o médico revelou que não dormiu preocupado e pediu: "não me prejudique, pela minha filha. Não tem necessidade".

"Eu te prejudicar? Você estimulou meu clítoris e depois fez o comentário que eu lubrifico muito e que tenho um axé? Meu psicológico que está prejudicado", rebateu a paciente.

A mulher detalhou ainda que o médico a chamou de "florzinha". "Ele falou: 'Você sentia dores, mas agora não sente mais não'. E aí ele veio para me dar um beijo na testa. Depois para me dar um beijo na boca, foi quando eu tomei aquele susto. E disse: 'Eu vou te dar alta e você vai sair comigo'", lembra ela citando as palavras dele.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que apura o caso e o investigado irá prestar depoimento na delegacia do Rio Vermelho.