Homens armados morrem ao trocar tiros com a PM em pousada de luxo da Bahia

Outras duas mulheres foram presas no momento em que tentavam fugir com drogas

mortes em pousada de luxo na Bahia
Legenda: Pousada fica em Jaguaripe, no baixo sul da Bahia
Foto: Reprodução

Dois homens morreram durante um confronto com a polícia militar na Praia do Garcês, em Jaguaripe (BA), na tarde dessa segunda-feira (11). A PM diz ter revidado os disparos feitos pelos suspeitos. Duas influenciadoras acabaram sendo presas tentando fugir do local.

A polícia tinha ido apurar uma denúncia de que havia homens armados no estabelecimento, mas acabou sendo recebida com tiros. Os agentes revidaram e acabaram atingindo a dupla. As informações são do G1

homens que foram mortos pela polícia em pousada na bahia
Legenda: Agnaldo Leite da Silva Neto, de 29 anos, conhecido como "Neto Talisca", e Felipe Augusto Machado, 28, o "Batoré", morreram em tiroteio
Foto: Reprodução

Agnaldo Leite da Silva Neto, de 29 anos, conhecido como "Neto Talisca", e Felipe Augusto Machado, 28, o "Batoré", chegaram a ser socorridos. Contudo, tiveram o óbito confirmado no Hospital Gonçalves Martins, em Nazaré. 

A PM informou que Agnaldo era fugitivo do sistema penitenciário por tráfico de drogas. Não há detalhes oficias se o outro suspeito possui histórico criminal.

Influenciadoras presas 

Já as duas influenciadoras foram identificadas como Laylla e Adrian Grace. A dupla foi levada para a delegacia de Santo Antônio de Jesus nesta terça-feira (12) porque os policiais encontraram drogas na caminhonete em que as mulheres tentaram fugir.

adrian grace e laylla presas
Legenda: Adrian Grace e Laylla eram companheiras dos dois homens mortos, e foram presas tentando fugir
Foto: Reprodução

Além do veículo usado para a fuga, os policiais apreenderam um quilo de cocaína, duas pistolas, dinheiro e sete cartões de crédito. 

Outras mortes na pousada

A Pousada Paraíso Perdido, que já era destino de muitos famosos, ficou em evidência no último ano depois da morte do proprietário, Leandro Troesch, encontrado sem vida no último dia 5 de fevereiro.

Outro funcionário dele, Marce Vieira, também foi morto no dia 7 de março. Ele era tido pela polícia como uma testemunha chave na investigação da morte do patrão.

A esposa de Leandro e a amiga, Shirley e Maqueila, respectivamente, são as principais suspeitas de participação no crime.