Ventosaterapia: o que é, benefícios e contraindicações

Procedimento contribui para reduzir as dores musculares, e aliviar o desconforto e o estresse

Escrito por Beatriz Rabelo, beatriz.rabelo@svm.com.br

Ser Saúde
Mulher deitada com ventosas nas costas
Legenda: A ventosaterapia proporciona redução de dores e melhora do desconforto muscular
Foto: Shutterstock

ventosaterapia é um tipo de procedimento que possui diversos benefícios para o paciente, como a desintoxicação dos tecidos e oxigenação da pele, assim como o alívio de dores nas articulações. Conforme a fisioterapeuta Crislane Batista do Nascimento, essa terapia é considerada não invasiva e eficaz.

A especialista ainda aponta que a ventosaterapia, que utiliza a sucção como forma terapêutica, tem o objetivo de estimular uma melhor circulação sanguínea.

Pessoa deitada em maca com ventosas pelo corpo
Legenda: Procedimento auxilia no relaxamento da mente e do corpo
Foto: Shutterstock

Para que serve? 

A ventosaterapia serve para reduzir as dores musculares e aliviar o desconforto e o estresse. De acordo com Crislane, o procedimento pode ser indicado tanto por questões de saúde, quanto por estética - no tratamento de estrias e celulite. 

Qual a diferença entre ventosa e ventosaterapia?

A ventosa é o instrumento, com formato parecido a um copo, enquanto a ventosaterapia é a terapia de aplicação da ferramenta na pele, resultando na sucção dos tecidos superficiais do paciente. Veja outras diferenças:

  • Ventosa: ferramenta também é conhecida como "cups" e pode ser de silicone, vidro, acrílico ou metal;
  • Ventosaterapia: terapia que aplica ventosas na pele, tendo pressão negativa em função ao vácuo gerado.

Profissional responsável pelo procedimento com algodão em uma das mãos
Legenda: A ventosaterapia é um procedimento indolor e não invasivo
Foto: Shutterstock

Quais os benefícios?

A fisioterapeuta lista os principais benefícios da ventosaterapia. Dentre eles, estão:

  • Aumento da circulação sanguínea no local;
  • Liberação das toxinas existentes no sangue;
  • Desintoxicação dos tecidos promovendo purificação e oxigenação da pele;
  • Eliminação de pontos-gatilho e contraturas musculares;
  • Alívio de dores nas articulações;
  • Aumento da produção de líquido sinovial;
  • Auxílio no relaxamento da mente e corpo.

No entanto, antes de agendar um atendimento, Crislane ressalta a importância de o paciente buscar um profissional especialista, que tenha conhecimento da técnica, para ter acesso aos riscos e contraindicações

Vácuo gerado pelo procedimento
Legenda: A terapia aplica ventosas na pele com pressão negativa em função ao vácuo gerado
Foto: Shutterstock

Como fazer a ventosaterapia? 

A região que a terapia será aplicada precisa estar descoberta. "O copo de ventosa possui uma válvula na parte de cima onde adapta a bomba de sucção, produzindo um vácuo que favorece a sucção do sangue na região aplicada", aponta a fisioterapeuta.

O profissional modera o nível de pressão a partir da bomba de sucção. A ventosaterapia possui três tipos de vácuos:

  • Fraco: quando a bomba de sucção é sugada 1 vez;
  • Médio: quando a bomba de sucção é sugada 2 a 3 vezes;
  • Forte: quando a bomba de sucção é sugada 3 a 4 vezes.

O tratamento deve ser individualizado, e o tempo de permanência das ventosas sobre a região pode variar a depender do objetivo do paciente. No entanto, Crislane aponta ser possível obter resultados positivos já entre cinco a dez minutos

Quais os riscos e contraindicações?

O tratamento com ventosas possui algumas contraindicações, não sendo indicado para pessoas com: 

  • Trombose;
  • Distúrbios hemorrágicos;
  • Varizes calibrosas;
  • Feridas;
  • Febre;
  • Grávidas que possuem hipertensão arterial descompensada;
  • Pacientes plaquetopênicos.

O paciente corre o risco de ficar com bolhas de água na região em que as ventosas forem aplicadas, caso o terapeuta deixe a ferramenta por um tempo mais longo do que o recomendado para o caso. 

"Recomenda-se atenção, também, para as ventosas de vidro, que são utilizadas com fogo, para que não ocorra queimadura na pele do paciente", acrescenta a especialista.

Mulher deitada em uma maca
Legenda: A ventosa pode ser aplicada em qualquer região do corpo que dê para realizar a sucção
Foto: Shutterstock

Perguntas frequentes

Ventosaterapia dói?

O procedimento costuma ser indolor. No entanto, quando utilizada uma grande quantidade de vácuo na pele do paciente, o local pode permanecer dolorido por cerca de três a cinco dias. "Pode-se usar estratégia para que a região não fique dolorida, diminuindo a pressão das ventosas", explica Crislane.

Gestante pode fazer?

Sim. Porém, as ventosas não devem ser aplicadas na região abdominal das mulheres grávidas. Além disso, é preferível evitar no caso das gestantes que possuem hipertensão arterial descompensada. 

Onde pode ser aplicada a ventosa no corpo?

A ventosa pode ser aplicada em qualquer região do corpo que dê para realizar a sucção. No entanto, é importante evitar as "proeminências ósseas", alerta Crislane.

*Crislane Batista do Nascimento é fisioterapeuta formada pelo Centro Universitário Estácio do Ceará. Especialista em Fisioterapia Cardiorrespiratória pelo Centro Universitário Estácio do Ceará e especialista em Diabetes pela Universidade Federal do Ceará (UFC).