Valor de moedas falsas apreendidas pela Polícia Federal no Ceará triplicou nos últimos dois anos

Doze suspeitos foram presos em flagrante no ano de 2020 prestes a receberam cédulas falsas enviadas pelos Correios. Neste ano, a Polícia Federal já registrou uma ocorrência no Ceará

apreensão de dinheiro falso
Legenda: No ano passado foram 12 pessoas presas em flagrante no Estado e 4.314 unidades de cédulas apreendidas
Foto: Helene Santos

A Polícia Federal (PF) tem apreendido valores mais altos em moedas falsas no Estado do Ceará. Em 2020, a PF contabilizou R$ 370 mil em cédulas falsas recolhidos, principalmente, por meio de flagrantes de destinatários de encomendas recebidas pelos Correios. Em 2019, foram quase R$ 300 mil e em 2018 R$ 89,5 mil. Comparados os últimos períodos, o aumento no valor de moedas falsas apreendidas no Estado ultrapassou 300%, ou seja, triplicou.

Em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste, o titular da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários (Delefaz), da Polícia Federal no Ceará, Olavo Pimentel, admite que o crime da moeda falsa está em ascensão. No ano passado foram 12 pessoas presas em flagrante no Estado e 4.314 unidades de cédulas apreendidas. Já neste ano de 2021, a PF/CE registrou uma ocorrência.

operação PF

De acordo com Pimentel, não há um perfil delimitado de quem comete este tipo de crime e nos últimos anos não foi localizado nenhum laboratório de falsificação de dinheiro no Ceará.

"Mulheres, homens, idade varia, nível de escolaridade varia. Já teve universitário e já teve gente de facção", cita o delegado sobre os detidos em flagrante em 2020.

Nem sempre o destinatário da moeda falsa é quem vai fazer uso dela no comércio. Investigações da PF revelaram que há pessoas recebendo moeda falsa no Ceará e revendendo-as: "detectamos pessoas fazendo distribuição regional", disse o delegado. Há informações que a maior parte do dinheiro vem de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

Busca

A atuação da PF na entrega de encomendas acontece após os Correios informarem situação suspeita. Pelo Raio-X ou por características da correspondência, como peso e formato, uma equipe especializada analisa detalhadamente a parte externa do envelope e aciona a Polícia. Então acontece o que o delegado chama de entrega acompanhada.

"Quando a pessoa vai receber a Polícia Federal se apresenta e faz a fiscalização. A orientação é que os Correios só realizem a entrega da correspondência suspeita a quem realmente é o destinatário. A maioria das cédulas apreendidas é de a 100 reais. No ano passado apreendemos dólares também", contou Olavo.

A escalada no montante de dinheiro falso apreendido demonstra que o crime vem sendo descoberto com mais frequência no Estado. No entanto, para a PF, a maior parte da entrega das moedas falsas ainda consegue passar desapercebida pelas autoridades.

"São vários laboratórios produzindo. Eventualmente um deles é fechado. É um crime que está em expansão, em ascensão. Estão cada vez mais se especializando e a Polícia trabalhando de forma mais articulada. Possivelmente o valor apreendido não chega nem perto no montante que circula.  É como as drogas, se apreende 50 toneladas e de repente passam 500", compara o delegado.

Ocorrências

Dentre as ações mais recentes envolvendo apreensão de moeda falsa está uma ocorrência de 10 de setembro de 2020. Na data, a PF apreendeu 544 cédulas falsas, todas elas no valor de R$ 100. Todas as notas chegaram a Fortaleza vindas do Estado de São Paulo.

Outro caso divulgado pela Polícia Federal aconteceu em junho do ano passado. Uma mulher de 23 anos foi presa em flagrante ao receber R$ 7 mil em cédulas falsas, via postal. A abordagem aconteceu no Bairro de Fátima e a suspeita autuada pelo crime.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança

Assuntos Relacionados