Prédio incendiado tem 190 anos e não era tombado pelo Município

Presidente da Associação dos Geógrafos do Ceará (Aprogeo-CE) afirma que o incêndio também destruiu parte da história de Fortaleza

Escrito por Redação,

Segurança
incendio
Legenda: A estrutura do prédio que abrigava o Casarão dos Fabricantes ser destruída pelo fogo também é perder parte da memória da cidade
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

De acordo com a Associação dos Geógrafos do Ceará (Aprogeo-CE), a edificação que abriga atualmente o Casarão dos Fabricantes foi construída em 1830 para ser a residência de Joaquim Ignácia da Costa Miranda.

Levantada em estilo neoclássico, a estrutura era um sítio localizado às margens do Riacho Pajeú e continha, na parte interna, taco de madeira do início do século XX.

Segundo a entidade, lá funcionou o Hotel Avenida, foi montada a primeira sede do Banco do Nordeste e já abrigou a Prefeitura de Fortaleza e a Câmara dos Vereadores.

casarao
Legenda: Somente a fachada do prédio não foi totalmente atingida pelas chamas do incêndio
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

O presidente da Aprogeo, Cândido Henrique, lembra que “o prejuízo não é só para os pequenos comerciantes. Acabamos de perder parte de nossa história. Essa obra foi erguida do período imperial e não era tombada pelo município, ou seja, não recebeu a manutenção e preservação devida enquanto Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da nossa cidade. Tudo isso foi destruído. É realmente desolador”, salienta o especialista.