Integrantes de facção saem de Caucaia para disputar territórios em Fortaleza e 'movem' violência

Regiões como o Grande Pirambu e a Grande Messejana têm sido palcos de tiroteios e homicídios, na guerra entre dois grupos criminosos

Escrito por Messias Borges e Emerson Rodrigues, seguranca@svm.com.br

Segurança
Um homem foi preso e um fuzil americano 223 (equivalente ao calibre 5.56) apreendido, no Grande Pirambu
Legenda: Um homem foi preso e um fuzil americano 223 (equivalente ao calibre 5.56) apreendido, no Grande Pirambu
Foto: Divulgação/SSPDS

Integrantes de uma facção cearense, dissidentes de uma organização criminosa de origem carioca, saíram de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), com destino à Capital, onde disputam territórios com os rivais. O deslocamento provocou mudanças nas dinâmicas da violência nas duas cidades.

A reportagem apurou, com fonte de uma vinculada da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), que a nova facção cearense, nascida na Caucaia, já está presente em regiões como o Grande Pirambu e a Grande Messejana, onde tenta se expandir.

9 dias sem mortes
Como consequência, Caucaia não registra homicídios há 9 dias, de acordo com a fonte da SSPDS. Neste mês de março, foram 16 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no Município, segundo dados dispostos no site da Pasta. O número é bem menor que as 27 mortes registradas em março de 2021 e as 43 mortes, de março de 2020.

Segundo a fonte, outro fator que motivou o deslocamento de criminosos de Caucaia para Fortaleza foi a atuação conjunta das polícias Civil e Militar do Ceará (PCCE) e (PMCE) junto do Poder Judiciário - em especial da Vara de Delitos de Organizações Criminosas. "Tem uma espécie de força tarefa, com a participação de delegados na Caucaia. Isso efetuou muita prisão. E quando começa a efetuar a prisão, os criminosos procuram outras áreas", explica. Além disso, as operações da PMCE e da PCCE para cumprir essas ordens judiciais trouxeram muitas baixas ao crime organizado.

Questionada sobre a dinâmica criminosa, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará afirmou, em nota, que "mantém os trabalhos investigativos, ostensivos e de inteligência, bem como o monitoramento de organizações criminosas em território cearense, visando as capturas de pessoas que possuem cargo de chefia dentro desses grupos".

Para isso conta com a atuação, especialmente, da Coordenadoria de Inteligência da própria SSPDS, bem como unidades especializadas como a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE). Para reforçar, estão em andamento os concursos da Polícia Militar do Ceará e da PC-CE, com 3 mil novos soldados e 534 novos policiais civis, respectivamente."
SSPDS
Em nota

A SSPDS exalta ainda os resultados do Programa Estadual de Recompensas, instituído em 2019, que já resultou nas prisões de 13 pessoas que possuem atuação importante dentro de coletivos criminosos.

De acordo com a Pasta, seis homens que figuravam na lista foram capturados em outros estados da Federação: Piauí (1), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (3). E a única mulher que era procurada pela Programa foi capturada em Jijoca de Jericoacoara, no litoral cearense. Os demais presos foram localizados em Barreira, Fortaleza e Sobral.

Acirramento entre grupos criminosos na Capital

Em contrapartida, territórios de Fortaleza veem a escalada da violência, causada pela guerra entre as facções por território para o tráfico de drogas. No último fim de semana, o Grande Pirambu foi palco de conflitos armados entre as facções de origem cearense e carioca, que levaram a prisões e apreensões de armamentos pesados, conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste.

Um homem foi preso e um fuzil americano 223 (equivalente ao calibre 5.56) apreendido, em uma ação do Comando de Policiamento de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), da Polícia Militar do Ceará (PMCE), no último sábado (26). Carlos Augusto Alves Barros, de 28 anos, seria integrante da facção cearense e estaria fugindo do ataque de populares, com pedradas e tiros, quando foi detido pelos policiais. Ele foi baleado na orelha.

O fuzil foi encontrado em uma caixa d'água de uma residência, junto de uma bolsa com 188 munições. Carlos Augusto também teria tentado deixar para trás uma espingarda calibre 12, que ficou na calçada de outra casa. O suspeito - que já respondia por homicídio, tentativa de homicídio, tráfico de drogas, posse e porte ilegal de arma de fogo - foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Em outra ação no Pirambu, na Praça do Abel, ainda no sábado (26), a PMCE prendeu seis suspeitos de participar de um confronto entre grupos criminosos armados: Wesley Ramos Martins, de 25 anos; Ítalo Manoel da Silva, 22; Sharlon de Lima Gomes, 21; Pedro Henrique da Silva Lima, 20; Edvan Ribeiro Castro, 20; e Pedro Crispim Nunes Filho, 19.

221
Com os suspeitos, foram apreendidas quatro pistolas e 221 munições (sendo 110 unidades de calibre 40, 105 unidades de calibre 380, quatro unidades de calibre 12 e duas unidades calibre 5.56).

Na Grande Messejana, a guerra entre as duas facções se intensificou nos últimos meses. Foi em uma dessas batalhas que ocorreu a Chacina da Sapiranga, que deixou cinco mortos, na madrugada de 25 de dezembro (em pleno Natal) do ano passado. De lá para cá, mais mortes.

Outra vítima da guerra entre as facções foi um líder do grupo carioca na Messejana e dono de pontos de venda de drogas, Jefferson Carlos Assunção de Oliveira, o 'Mago', morto dentro de um carro de luxo blindado, na Rua Antônio Barros, no último dia 16 de março.

Conforme as investigações da Polícia Civil do Ceará (PC-CE), 'Mago' foi fuzilado em retaliação a outro homicídio: um homem identificado apenas como Joziel, pertencente ao grupo cearense, foi morto dentro de casa, também no dia 16 de março, na Grande Messejana.

Em outra ação no Pirambu, a Polícia Militar apreendeu quatro pistolas e 221 munições
Legenda: Em outra ação no Pirambu, a Polícia Militar apreendeu quatro pistolas e 221 munições
Foto: Divulgação/SSPDS

50 armas de fogo apreendidas no feriadão

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará divulgou, nesta segunda-feira (28), que o feriadão de 25 a 27 de março foi marcado, no Estado, pela apreensão de armas de fogo e munições.

938
Ao total, as Forças de Segurança do Ceará recolheram 58 armas e 938 munições de calibres variados, durante os três dias. Entre as apreensões, estão o fuzil e as 221 munições encontradas no Pirambu e mais dois fuzis apreendidos em outra ocorrência, no bairro Boa Vista, também em Fortaleza.

Ainda de acordo com a SSPDS, em janeiro e fevereiro de 2022, 1.139 armas de fogo foram apreendidas no Ceará pelas Forças de Segurança do Estado. Em igual período de 2021, foram recolhidas 972 armas. O aumento, no ano corrente, é de 17,2%.