Grupo especializado em roubo de joias é preso; ação em Fortaleza rendeu R$ 500 mil para quadrilha

Prisão ocorreu após ação conjunta entre as Polícias Civis do Ceará e do Mato Grosso do Sul. Quadrilha havia roubado itens avaliados em R$ 3 milhões pouco antes da prisão

suspeitos de roubo a joias/suspeitos de furto a joias/
Legenda: Quadrilha estava em casa alugada por meio de aplicativo durante ação da Polícia.
Foto: divulgação

O braço operacional de organização criminosa responsável por furtos de joias em apartamentos de luxo foi desarticulado por meio de ação entre as polícias civis do Ceará e do Mato Grosso do Sul. O grupo, preso em Campo Grande (MS), furtou mais de R$ 500 mil em Fortaleza, apenas entre os dias 17 e 25 de janeiro deste ano.

Foram presos Rodrigo Silva, 29 anos, Ewerton Wesley da Silva Santos, 21 anos, Hussein Mofid Essa Alssabak, com 29 anos de idade, e Robson Radamés da Silva de Farias, com 23. O grupo, estabelecido em São Paulo, realizava os furtos após se infiltrar de forma clandestina nos prédios e realizar arrombamento dos imóveis. 

As investigações da Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil do Ceará (PCCE) descobriu a identidade dos criminosos, que haviam se deslocado para a capital sul-mato-grossense. A partir daí, foi estabelecido um canal de comunicação entre as Polícias Civis dos dois estados, no qual houve fornecimento de dados sobre o grupo.

Após identificarem o líder da organização, Rodrigo Silva, e o veículo no qual estariam em Campo Grande, a Polícia local chegou à quadrilha. O bando estava em casa alugada através de aplicativo.

A Polícia encontrou com os quatro homens várias joias roubadas de um apartamento de luxo momentos antes da ação. O prejuízo do furto realizado em Campo Grande gira em torno de R$ 3 milhões. Ainda conforme o órgão, Rodrigo Silva e Ewerton Wesley da Silva Santos participaram diretamente dos arrombamentos feitos em Fortaleza.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança