Gegê e Paca: acusado de participar das execuções de líderes do PCC é preso em Sergipe

Gegê do Mangue e Paca foram assassinados em fevereiro de 2018; Carlenilton Pereira Maltas foi detido pela polícia federal

A Polícia Federal cumpriu neste domingo (7), em Sergipe, mandado de prisão expedido pelo Juízo da Comarca de Aquiraz, em desfavor de Carlenilton Pereira Maltas, acusado de ser um dos executores de Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, em fevereiro de 2018. Ambos eram membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e foram assassinados em 15 de fevereiro do ano passado. Antes das mortes de 'Gegê' e 'Paca', o acusado Carlenilto Maltas morava em um condomínio de luxo, em Fortaleza

A prisão foi resultado de trabalho conjunto das superintendências da PF do Ceará e de Sergipe. Há cerca de um ano, a Polícia Civil cearense já havia realizado uma operação no cidade de Canindé de São Francisco, no Estado de Sergipe, em busca de Carlenilto, mas ele não foi encontrado na ocasião.

Ontem, a ordem judicial foi cumprida pelos federais na casa de Carlenilto, naquele Estado. No momento em que foi detido, o acusado estava na companhia da mulher e dos filhos e não reagiu. A defesa dele, representada pelos advogados Gian Carlos Pereira de Sousa e Francisco Alves Moreira, disse que "Carlenilton irá demonstrar que nada tem haver com esses fatos e nunca pertenceu a facçao criminosa". 

Leia ainda:

> Relembre o atentado cinematográfico que matou os líderes do PCC no Ceará
> Já dado como morto, 'Andrezinho da Baixada' pede liberdade
> Conflitos internos podem ter levado os líderes à morte
> A imprevisibilidade do crime organizado

Legenda: Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, assassinados em fevereiro de 2018, no Ceará

Prisão de suspeito em São Paulo

A Polícia Federal prendeu no último dia 16 de janeiro outro acusado de assassinar Gegê do e Paca. O homem, identificado como Jefte Ferreira dos Santos, era considerado foragido, além de ter sido denunciado pelo Ministério Público à Justiça pela participação no crime. Ele foi detido em São Paulo.

De acordo com a polícia, Jefte foi preso numa casa de praia em Itanhaém, litoral sul de São Paulo. Ele estava com o namorado. Após a prisão, ele foi levado para a Superintendência da Polícia Federal na capital do estado.

Segundo a delegada Vanessa Souza, Jefte fez a preparação logística para receber outros envolvidos que vieram de São Paulo para participar do crime. Ele reservou o hotel e fez alguns pagamentos. 

Os agentes da PF apreenderam com Jefte telefones celulares. Ele deverá permanecer em São Paulo até ser transferido para o Ceará, onde o crime foi cometido e onde estão concentradas as investigações do caso.

Mortes em Aquiraz

Gegê e Paca eram líderes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Os corpos dos dois só foram encontrados no dia seguinte às execuções, próximo a uma mata fechada em Aquiraz. Os homicídios aconteceram mediante um ousado planejamento, que incluiu até o uso de um helicóptero.

O caso ganhou repercussão à medida que surgiam revelações sobre o crime misterioso e a vida luxuosa que a dupla do PCC levava com suas famílias no Ceará, desde setembro de 2017.

Confira a lista de acusados pelo crime:

  • Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho' -  homicídio duplamente qualificado, organização criminosa, falsificação de documento e concurso de pessoas
  • Erick Machado Santos, o 'Neguinho Rick da Baixada' - homicídio duplamente qualificado, organização criminosa, falsificação de documento e concurso de pessoas
  • Tiago Lourenço de Sá de Lima - homicídio duplamente qualificado, organização criminosa, falsificação de documento e concurso de pessoas
  • André Luís da Costa Lopes, o 'Andrezinho da Baixada' - homicídio qualificado, organização criminosa e concurso de pessoas
  • Ronaldo Pereira Costa - homicídio qualificado, organização criminosa e concurso de pessoas
  • Carlenilto Pereira Maltas, o 'Ceará' - homicídio qualificado, organização criminosa e concurso de pessoas
  • Renato Oliveira Mota - homicídio qualificado, organização criminosa e concurso de pessoas
  • Felipe Ramos Morais - homicídio qualificado, organização criminosa e falsificação de documento
  • Maria Jussara da Conceição Ferreira Santos - homicídio qualificado e organização criminosa
  • Jefte Ferreira Santos - homicídio qualificado e organização criminosa
Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança