Empresa de uniformes profissionais é instalada em unidade prisional de Itaitinga

Os internos terão a oportunidade de trabalhar na produção de uniformes para reduzir suas penas, informou a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Escrito por Redação,

Segurança
fábrica em presídios
Legenda: Em princípio, trabalharão de 15 a 20 internos, que exercerão atividades durante 40 horas semanais em troca de remissão da pena a cada três dias trabalhados
Foto: Divulgação/SAP-CE

Uma empresa de uniformes profissionais foi instalada nessa segunda-feira (31), no Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne (Cepis), localizado em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Os internos que trabalharão na  produção dos fardamentos terão as penas reduzidas, informou a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP). 

De acordo com a SAP, a empresa é uma das sete qualificadas no chamamento público realizado em dezembro de 2019. Em princípio, trabalharão de 15 a 20 internos, que exercerão atividades durante 40 horas semanais em troca de remissão da pena a cada três dias trabalhados, além de uma quantia em dinheiro equivalente a ¾  de um salário mínimo, entregue às famílias deles.

Conforme a Instituição, há a estimativa de que 50 internos sejam contratados para trabalhar na empresa. Uma parte deles deverá fazer parte da equipe que integrará as outras etapas de produção direcionadas à costura dos produtos. Os detentos receberão, ainda, uma reserva de dinheiro após ganharem liberdade. 

Mauro Albuquerque, secretário da SAP, falou sobre os benefícios ao se instalar uma empresa na unidade prisional. "É uma grande vantagem. Além de tributos, também tem o comprometimento do trabalhador que não se atrasará, é disciplinado e qualificado". Ele salientou ainda a ressocialização dos detentos.

"É mais um passo dentro da educação, da capacitação e, agora, do trabalho. E a ideia é transformar o sistema penitenciário em uma grande indústria. Ou seja, preparando os internos para voltarem à sociedade como cidadãos. E isso é fundamental para a ressocialização, para voltarem à sociedade já com uma profissão."

Maior unidade prisional do Estado

De acordo com a SAP, a unidade prisional CEPIS é a maior do Estado do Ceará, com 1.032 vagas para internos. O centro, que é voltado para o trabalho e capacitação de detentos, possui galpões direcionados a empresas, como a inaugurada ontem (31). A Instituição informou ainda que, atualmente, cinco companhias estão instaladas no sistema prisional cearense.

Assuntos Relacionados