Condenado pela Chacina do Benfica aguarda mais um julgamento

Douglas Matias da Silva teria matado outra pessoa, também no bairro Benfica, em agosto de 2017. No mês passado, a Justiça decidiu que ele deve ir a júri popular por este homicídio, mas ainda não há data para a audiência

Legenda: O suspeito é acusado de praticar outro homicídio, sete meses antes, no mesmo local onde ocorreu a Chacina do Benfica
Foto: FOTO: CID BARBOSA

Antes de cometer a Chacina do Benfica, Douglas Matias da Silva já teria matado outras pessoas, inclusive naquele mesmo bairro. Douglas morava há anos no Benfica e resolvia ali, com a maior violência possível, os problemas contra seus desafetos.

De acordo com acusação do Ministério Público do Ceará (MPCE), em agosto de 2017, Douglas Matias assassinou Guilherme Renan Alves Figueiredo Delano e ainda tentou matar o irmão dele, Tales Marcel Alves Figueiredo Delano.

Há mais de dois anos desde o ocorrido, o caso segue sem julgamento. No mês seguinte à morte de Guilherme, Douglas Matias da Silva foi denunciado pelo MPCE. A denúncia mostra que Guilherme e Tales estavam na Praça da Gentilândia quando foram surpreendidos por Douglas. O acusado acionou o gatilho da arma apontando em direção a Tales. A arma falhou e Tales conseguiu correr. Guilherme Renan ficou paralisado. Foi tempo suficiente para Douglas tentar disparar novamente e a arma funcionar.

Guilherme Renan Alves Figueiredo foi morto com diversos disparos, alguns deles na cabeça. O Ministério Público do Ceará aponta que Guilherme só foi executado por estar na companhia do real desafeto do acusado, o que caracteriza motivo torpe.

No dia 21 de outubro deste ano, Douglas foi pronunciado pela Justiça cearense. Ou seja, 25 meses após a acusação, ficou decidido que o acusado deve ir a júri popular. Segundo o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), após a aceitação da denúncia, o processo passou a tramitar na Justiça e "com isso, iniciou-se a fase de instrução criminal, que envolve oitivas das testemunhas e réu".

Antes da pronúncia, foram realizadas audiências para colher os depoimentos. Também conforme o TJCE, o julgamento está previsto para ser incluso nas pautas da 4ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza de 2020.

Ficha extensa

O nome de Douglas Matias da Silva está incluso no Movimento de Apoio ao Sistema Prisional (Masp), devido a ele ser um réu multidenunciado, com pelo menos cinco ações penais em tramitação na Justiça estadual. Só neste ano, e em menos de um mês, Douglas Matias da Silva foi condenado por outros crimes.

No dia 15 de outubro ele foi sentenciado com Francisco Elisson Chaves de Souza pela morte de uma adolescente e lesões em outras duas vítimas. O crime aconteceu no bairro José Bonifácio. Aquela já era a segunda vez que Douglas atentava contra parentes de um desafeto motivado pela relação familiar do mesmo.

Conforme o MPCE, ele confessou o envolvimento neste crime. Na última quarta-feira (6), Douglas Matias voltou a ser condenado, agora, por um crime ainda mais bárbaro. O Conselho de Sentença da 5ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza condenou Matias e Stefferson Mateus Rodrigues Fernandes por sete homicídios e três tentativas de homicídio ocorridos no Bairro Benfica, na noite de 9 de março de 2018.

Douglas Matias foi sentenciado a 189 anos, quatro meses e 12 dias de prisão, em regime inicialmente fechado, pela chacina. Já Stefferson foi condenado a 170 anos e oito meses de reclusão. Francisco Elisson, comparsa de Douglas em um crime anterior, também chegou a ser acusado pela Chacina do Benfica, mas foi inocentado dos homicídios, porque não estaria em Fortaleza na data do crime.


Assuntos Relacionados