Autor de chacina em Monsenhor Tabosa tem fama de 'psicopata' por suspeita de enterrar desafeto vivo

De furto de ovelhas a mandante do massacre; saiba quem é matador agora preso por policiais

Escrito por Emanoela Campelo de Melo, emanoela.campelo@svm.com.br

Segurança
francisco romario
Legenda: O suspeito da chacina chegou a passar pelo Sistema Prisional do Ceará, mas em junho de 2018, quando sentenciado pelo porte ilegal de arma, recebeu o direito de cumprir a sentença em semiliberdade.
Foto: Reprodução

Matador, 'psicopata', 'negão ou o maior traficante da região. Francisco Romário Lima Pereira tem extensa ficha criminal e é conhecido pelos seus crimes na cidade de Monsenhor Tabosa, no Interior do Ceará. A reportagem do Diário do Nordeste apurou que nessa terça-feira (24) ele foi preso por policiais civis sob a suspeita de ser um dos principais autores da chacina que vitimou quatro pessoas e ainda deixou crianças feridas. Ao todo, oito foram detidos devido à matança e um deles já liberado.

Francisco Romário estava na condição de foragido de Justiça há mais de um ano. Considerado pela Polícia como alvo de alta periculosidade, é membro ativo de uma facção criminosa local, que atualmente vive em constante conflito com um grupo armado de origem carioca.

Ainda enquanto menor de idade, foi capturado por ato infracional análogo a homicídio. "É imperioso destacar que Romário ostenta na comarca de Monsenhor Tabosa a fama de marginal e psicopata, adquirida desde a sua menoridade penal, o qual segundo consta teria enterrado vivo um desafeto, motivado na ocasião pelo que se supõe pelo tráfico de drogas", diz trecho de documento obtido pela reportagem.

A ficha criminal dele inclui ainda furto e porte ilegal de arma de fogo. No ano de 2016, Romário foi autuado por furtar duas ovelhas na zona rural da cidade de Catunda. Ele teria tentado enganar os policiais afirmando que os animais eram de propriedade do avô dele.

O suspeito da chacina passou pelo Sistema Penitenciário do Ceará, mas em junho de 2018, quando sentenciado pelo porte ilegal de arma, recebeu o direito de cumprir a sentença em semiliberdade. Voltou a reincidir, e agora em crimes com requintes de crueldade.

"MEXEU COM MULHER DE BANDIDO, AGORA VAI MORRER"

Contra Francisco Romário há também um processo datado de fevereiro de 2020. Neste, ele teria tentado um triplo homicídio, em uma estrada carroçável. O motivo do crime protagonizado por ele e um amigo era ciúmes. Consta em documentos obtidos pela reportagem que a dupla interceptou três motos, onde estavam as vítimas e começaram a efetuar disparos de arma de fogo.

O principal alvo da ação seria um homem que já teria se relacionado com as namoradas dos dois suspeitos. Conforme uma das vítimas sobrevivente, Romário teria gritado durante a ação que :"mexeu com mulher de bandido, agora vai morrer".

Outra ocorrência com em nome de Francisco Romário é de junho de 2019. Ele teria fugido de um hospital, sem receber alta médica, quando soube que policiais estavam a sua procura devido ao crime de tráfico de drogas


SOBRE A CHACINA

A chacina ocorrida em Monsenhor Tabosa vitimou dois adolescentes, de 14 anos, e dois homens, um de 40 e o outro de 70 anos. As identidades das vítimas ainda não foram divulgadas oficialmente pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Até o momento, se sabe que os criminosos estavam em posse de grande quantidade de munições, armas de fogo, carregadores, balaclavas e dois artefatos explosivos. Eles teriam invadido duas casas para cometer os homicídios.

"A ofensiva foi realiza por equipes da Força Tática, do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) e do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (Bepi) da PMCE", informou a SSPDS, sobre as prisões.

Dos oito detidos, cinco foram capturados na noite da terça-feira (24), "após o veículo onde o grupo estava ser abordado, em Canindé, durante diligências ininterruptas das Forças de Segurança". A pessoa que conduzia o veículo foi ouvida como testemunha e liberada por não haver indícios de sua participação no crime.

PRESOS

Além de Francisco Romário Lima Pereira, foram detidos mais três comparsas: Edson Bezerra Pereira, 21 anos, Pedro Juscelino da Silva Rodrigues, 21 anos, e Vitor Hugo Alves da Silva, 21. Eles estavam no veículo abordado em Canindé.

Pela manhã, tinham sido detidos José Eieldo Lima da Silva, 36 anos, Elson Lima Alves, 21, e João Paulo Alves de Lima, 18 anos.

Os nomes foram divulgados em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25).