Rompimento de adutora deixa Tururu e localidades rurais sem água

Na comunidade de Melancias, moradores reclamam da falta do recurso hídrico há 15 dias. Cagece garantiu que o sistema será normalizado nesta quarta-feira (30)

Legenda: Sem água nas torneiras, a alternativa é comprar em caminhões-pipa particulares ao preço de R$ 30, a carga de mil litros
Foto: VcRepórter

Moradores da cidade de Tururu e de localidades rurais do entorno do centro urbano, na região Norte do Ceará, reclamam da falta de água no sistema de abastecimento. Na comunidade de Melancias, distante 1,5km da cidade, o desabastecimento já perdura por quase 15 dias.

As famílias com crianças sofrem ainda mais o impacto da escassez de água no sistema local de distribuição. Sem água nas torneiras, a alternativa é comprar em caminhões-pipa particulares ao preço de R$ 30, a carga de mil litros. É o caso da dona de casa, Marilene Ferreira da Silva.

“Tá grande o nosso sofrimento, e eu que moro em uma parte mais alta, ainda fica mais difícil. Tenho duas crianças e tem de ter água direto”.

Marilene Silva disse ainda que já fez duas reclamações no escritório da Cagece. “Eles dizem que vão resolver, que foi um problema na adutora, mas até hoje nada foi resolvido”.

A população local diz que o problema é recorrente porque a água depende de uma transferência por meio de adutora que é feita a partir de um açude no município de Uruburetama. “Sempre, sempre tá faltando água aqui”, disse o agricultor Luís Alves.

A aposentada Maria do Socorro Mota, 66 anos, é outra que denuncia a falta de água. “Aqui sou eu, meu marido, meu pai e minha mãe e é uma dificuldade muito grande. Não tem como eu banhar eles”, desabafou. “Acho isso um desrespeito”. Raimundo Ferreira, agricultor, também confirmou a falta de água nas duas últimas semanas. “Quando vem a água não força, é pouca”, critica. 

Esclarecimento

Por meio de nota, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) informou que houve um rompimento na adutora que abastece a localidade. O serviço já foi concluído por equipes da companhia, mas como o sistema funciona por pressão, a água demora um pouco mais a chegar às áreas mais elevadas ou distantes da estação de tratamento.

De acordo com a Cagece, a previsão é de que o equilíbrio total do sistema ocorra até as 17h de amanhã quarta-feira (30). A nota frisa que “enquanto o sistema estiver em período de equilíbrio, a Cagece orienta a população que a água seja consumida com moderação, privilegiando o consumo humano e as atividades essenciais”.

Durante o período de pandemia do novo coronavírus, a Cagece reforçou que “está garantindo a prestação do serviço com reforço nas operações de abastecimento de água e esgotamento sanitário, além de medidas preventivas”.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará