Médicos de hospital em Juazeiro do Norte reclamam de atraso no pagamento

A Secretaria da Saúde do município disse que o valor do repasse já estava em conta

Legenda: Na última quarta-feira (7), os atendimentos eletivos feitos pelos profissionais da saúde foram paralisados no Hospital e Maternidade São Lucas
Foto: Foto: Antônio Rodrigues

Médicos que atuam no Hospital e Maternidade São Lucas, em Juazeiro do Norte, denunciam atrasos nos pagamentos referente ao mês de março. Segundo os profissionais de saúde, a prefeitura da cidade não fez o repasse das verbas. Além do hospital, os médicos que atuam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Juazeiro do Norte também não receberam os ordenados de janeiro a março deste ano

O Instituto de Atenção à Saúde e Educação (Aceni) é a empresa terceirizada responsável pelo pagamento dos profissionais no período, já que os administrava até fevereiro. Procurada pela reportagem, o empreendimento não respondeu quando os pagamentos serão efetuados. Atualmente, o Hospital São Lucas é administrado pelo Instituto Diva Alves Brasil (IDAB), que assumiu a gestão do equipamento no dia 1º de março, após a saída da Aceni.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) disse que se reuniu na última quarta-feira (7), com a Secretária Municipal de Saúde (SESAU) e pediu agilidade no pagamento referente ao mês de março dos médicos. 

A Secretaria da Saúde do município havia se manifestado, em nota, informando que o valor do repasse já estava em conta e que apenas aguardava à Justiça.  

Suspensão dos atendimentos eletivos 

Nesta quarta-feira (7), os atendimentos eletivos feitos pelos profissionais da saúde foram paralisados no Hospital e Maternidade São Lucas. Segundo Lívia Siebra, representante jurídica da categoria dos médicos que atuam na UPA de Juazeiro do Norte e no Hospital São Lucas, a ação durou cerca de seis horas. Os serviços de urgência e emergência foram mantidos durante o período de suspensão.  

Já a Secretaria da Saúde de Juazeiro do Norte afirmou que a ação não possuía respaldo legal, dado que os pagamentos não recebidos são referentes à empresa anterior que administrava a UPA e o Hospital São Lucas. A parta ainda esclareceu que os serviços nesses locais "não foram paralisados e os atendimentos estão acontecendo normalmente".

Em nota, a 2ª Promotoria de Justiça de Juazeiro do Norte disse que os profissionais não estão em greve. "Apesar de estarem com seus pagamentos de janeiro e março atrasados pela Organização Social ACENI (Instituto de Atenção à Saúde). Após nova reunião com os médicos, realizada no Hospital São Lucas nesta quinta-feira (08/04), os profissionais acataram a solicitação do MPCE em aguardar adoção de medidas legais por parte do MPCE e do MPF (por também envolver recursos federais) acerca do pagamento devido, que deve ocorrer o mais breve possível", disse o MPCE. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará