Com chuvas e águas da transposição, rio Salgado registra cheia em Icó e migra para o Castanhão

As precipitações do fim de semana contribuíram para o aumento do volume do rio, que contabilizou vazão de 44 metros cúbicos por segundo em Icó

salgado 1
Legenda: Cheia no rio Salgado, em Icó, após águas das chuvas e da transposição
Foto: Gustavo Veras

As águas oriundas de boas chuvas no Sul cearense neste fim de semana, somadas às da transposição do rio São Francisco, aumentaram o nível no leito do rio Salgado, em Icó, no Centro-Sul, na manhã desta segunda-feira (15). A vazão atual é de 44 metros cúbicos por segundo, o que também contribuirá, nos próximos dias, para aumento da carga no Castanhão, o maior açude do Ceará.

Desde que recebeu reforço do São Francisco – com vazão de 10 metros cúbicos por segundo - e das chuvas a partir do último dia 10, o Castanhão já registrou um aporte de 4,5 milhões de m³. O volume acumulado passou de 10,34% para 10,37% entre 10 e 15 de março. Houve, portanto, um ganho de volume ainda reduzido, de 0,03%. A expectativa, entretanto, é de um aumento mais significativo até o fim desta semana.

“A água escorre com velocidade e segue em direção ao rio Jaguaribe, após a cidade de Icó, e de lá vai para Jaguaribe e Jaguaribara, onde está a bacia do Castanhão”, frisou o secretário Executivo da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Aderilo Alcântara. 

As chuvas que banharam o Cariri contribuíram diretamente para a cheia do rio Salgado após passarem por Brejo Santo, Missão Velha, Aurora, Lavras da Mangabeira e Icó.

Na cidade de Icó, o espetáculo da cheia do rio atraiu moradores à ponte Piquet Carneiro. “É a segunda cheia do ano, e isso nos dá alegria”, disse o advogado Fabrício Moreira. Os agricultores estão animados. “As roças estão plantadas e até agora o inverno tem sido bom”, disse o pequeno produtor rural Valcir Nogueira. “A nossa esperança é que as chuvas continuem mais intensas a partir desta segunda quinzena”.

salgado 2
Legenda: Ponte Piquet Carneiro sobre as águas do rio Salgado
Foto: Gustavo Veras

Chuvas

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou chuva de 50 milímetros no Crato, nesta segunda-feira. No domingo passado, foram 130 mm em Abaiara, 92,4 mm em Missão Velha; 80 mm em Jati; 72,4 em Aurora e 73 mm em Brejo Santo.

No sábado passado, Abaiara já havia registrado a maior precipitação do dia – 145 mm. As chuvas foram intensas no Cariri no último dia 13. Milagres (96 mm), Jati (73.2 mm), Jardim (70 mm) e Juazeiro do Norte (69 mm).

A gerente de meteorologia da Funceme, Meiry Sakamoto, frisou que o “Ceará deve seguir com cenário favorável a chuvas isoladas neste início de semana e que até a próxima quarta-feira (17), os principais acumulados deverão ocorrer na faixa litorânea e na macrorregião da Ibiapaba”.

Para amanhã (16) e quarta (17), a Funceme prevê que todas as macrorregiões deverão ficar sob previsão de céu variando entre claro e parcialmente nublado e existe uma tendência de precipitações mais abrangentes nas macrorregiões localizadas no noroeste (Ibiapaba e Litoral Norte) e também em áreas do sul do Estado, como no Cariri.

“A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) permanece ao norte do Equador e não influencia às chuvas no Ceará, mas a umidade e calor presentes no interior do Nordeste geram áreas de instabilidade e somados às condições locais como revelo favorecem o desenvolvimento de nuvens de chuva”, explicou Meiry Sakamoto.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará