Em Tianguá, Izolda volta a se posicionar sobre litígio entre Ceará e Piauí: "defender nosso Estado"

Governadora tem feito movimentações inéditas para resolver disputa secular por território

A governadora Izolda Cela aparece em primeiro plano, vestindo uma camisa branca e uma calça marrom, observando um sistema de abastecimento de água em Tianguá. O céu está nublado.
Legenda: A governadora Izolda Cela inaugurou um sistema de abastecimento de água em Tianguá nesta sexta-feira (13).
Foto: Tiago Stille/Governo do Ceará

A governadora do Ceará, Izolda Cela (PDT), voltou a defender que o Estado tem direito sobre as 13 cidades na Serra da Ibiapaba que são alvo de disputa secular com o Governo do Piauí.

Durante evento de inauguração de sistemas de abastecimento de água em Tianguá, nesta sexta-feira (13), Izolda reforçou "nossa firme determinação em defender o nosso Estado e o direito das cearenses e dos cearenses que aqui vivem" e que têm histórias centenárias de pertencimento ao território. "Não é pouca coisa", afirmou a governadora.

Ela aproveitou ainda para ressaltar a importância econômica da Serra da Ibiapaba para o Ceará. "É uma região que tem frentes muito importantes, seja no turismo, na produção agrícola, na agroindústria, no setor de energia", citou.

O recente encontro com a ministra Cármen Lúcia, relatora do processo no Supremo Tribunal Federal (STF), também foi mencionado no discurso. "Fui expressar e representar o sentimento que sei que é compartilhado por todos os cearenses", comentou a governadora, que acredita conseguir resolver a situação com diálogo.

Entenda o litígio


Há uma disputa histórica entre Ceará e Piauí que envolve o domínio sobre 13 cidades da Serra da Ibiapaba. O caso foi parar no STF em 2011, quando o Piauí recorreu à Corte para definir a qual estado pertence o território.

Em 2016, a pedido do STF, o Serviço Geográfico do Exército apresentou um relatório preliminar sobre a região e deu um parecer favorável ao Piauí.

No ano passado, foi anunciada uma nova perícia para o primeiro semestre deste ano. No entanto, em abril, o Exército Brasileiro informou ao STF que não deu continuidade ao processo por problemas no pagamento do novo estudo por parte do Piauí.

Desde a semana passada, a governadora Izolda Cela está dedicada ao assunto e, além de ter ido conversar pessoalmente com a ministra Cármen Lúcia, já fez algumas visitas à região afetada pela disputa.