"Continuarei com minha militância", diz Ronivaldo Maia após Câmara arquivar pedido de cassação

Vereador é acusado criminalmente de tentativa de feminicídio

Vereador Ronivaldo Maia na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza.
Legenda: O vereador Ronivaldo Maia deve reassumir em breve seu mandato na Câmara Municipal.
Foto: Érika Fonseca

O vereador Ronivaldo Maia (PT) disse "reconhecer e aceitar" a decisão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Fortaleza que arquivou, na manhã desta terça-feira (12), o pedido de cassação de seu mandato. O vereador é réu desde o ano passado por tentativa de feminicídio.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o político reafirmou que não tentou matar a mulher de 36 anos sobre a qual avançou um carro e foi autuado em flagrante pela Polícia em novembro do ano passado.

"Ronivaldo não abusou de prerrogativas asseguradas como vereador nem se valeu do mandato para praticar qualquer conduta em nome do poder legislativo municipal para buscar vantagens ilícitas ou imorais", continuou a nota.

Por fim, em primeira pessoa, o parlamentar escreveu: "Continuarei com minha militância na vida pública, sempre na busca de uma sociedade melhor para todos e todas".

Licença médica


O parlamentar se licenciou da Câmara Municipal em dezembro do ano passado. Em seu lugar, assumiu o suplente Dr. Vicente (PT), que permaneceu no cargo até o último dia 2 de abril, quando acabou o prazo da dispensa do correligionário.

Ronivaldo já podia, desde então, ter reassumido seu assento na Casa. No entanto, apresentou atestado médico no início desta semana para tratar diabetes. Segundo sua assessoria, o político retorna hoje ao médico para saber se terá alta.

Repercussão


O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Antônio Henrique (PDT), disse, em entrevista exclusiva à colunista Jessica Welma, que "confia no trabalho que o Conselho de Ética está fazendo" em relação ao pedido de cassação do mandato do vereador Ronivaldo.

"É um caso que a gente precisa ter cuidado para não se posicionar de forma errada, mas, enfim, também não podemos ficar de braços cruzados. Estarei sempre do lado das causas que a gente defende, principalmente no caso das mulheres", afirmou o presidente.

O presidente do diretório municipal do PT, vereador Guilherme Sampaio, por sua vez, evitou comentar especificamente sobre a absolvição do correligionário no Conselho de Ética da Câmara. Ele se ateve a dizer que Ronivaldo permanece com sua filiação suspensa enquanto o diretório estadual do partido analisa a conduta do político no caso.

A decisão sobre a exclusão de Ronivaldo da legenda está sendo discutida em sigilo, de forma interna. "O processo segue com uma apuração rigorosa dos fatos, assegurada a apresentação de defesa por parte do vereador", afirmou Guilherme.