Camilo apresenta prioridades para o novo mandato na Assembleia Legislativa

A redução das desigualdades sociais e geração de emprego, por meio do desenvolvimento do Estado devem ser as prioridades da gestão para este ano

O governador Camilo Santana apresentou, na abertura dos trabalhos da nova legislatura da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), as prioridades para o novo mandato em sua mensagem no plenário. O gestor falou dos feitos da primeira gestão e apresentarou as perspectivas da administração pública para os próximos quatro anos. 

O governador iniciou o pronunciamento destacando os investimentos nas áreas de saúde e segurança, apesar de a crise econômica. "É fundamental para reduzir as desigualdades, avançar na austeridade financeira", disse.

Segundo ele, o Ceará foi o segundo estado do País com o maior número de investimento nominal. "Só perdeu para São Paulo", afirmou.

"Transparência, controle e participação social foram os investimentos feitos pelo governo, o que fez com que a gestão ganhasse o prêmio transparência, da Câmara Federal", destacou.

Educação 

Sobre educação, Camilo destacou os investimentos na área e os resultados alcançados com as escolas de tempo integral. "Temos investido cada vez mais nos alunos, professores e diretores, além da melhoria da estrutura das escolas. Somos o segundo Estado no país na modalidade escola em tempo integral", afirmou.

Camilo também anunciou bolsas para alunos da rede estadual no exterior. "Vamos premiar os melhores alunos dos centros de línguas com intercâmbio internacional" , disse.

Legenda: Sobre educação, Camilo destacou os investimentos na área e os resultados alcançados com as escolas de tempo integral
Foto: Miguel Martins

Mais Infância

Segundo ele, o programa Mais Infância deve retornar ao Estado ainda neste mês, com uma verba de R$ 50 milhões.

A redução das desigualdades sociais e geração de emprego, por meio do desenvolvimento do Estado devem ser as prioridades da gestão Camilo Santana para este ano.

Segurança

O governador ressaltou ainda a contratação de 10 mil profissionais da segurança pública e os investimentos em tecnologia e inteligência "para mostrar ao crime que é o governo quem manda no Estado", além de reforçar a necessidade de um trabalho em todo o Brasil.

"Ou o País se une ou poderá ser tarde demais. De nossa parte não haverá trégua contra a criminalidade", disse.

Sobre as tropas federais que atuam no Ceará, Camilo ressaltou que “informações extraoficiais dão conta de que as Forças Nacionais ainda ficarão por um mês no Ceará”, disse.