Vacinação contra Covid-19 é iniciada dentro da aldeia Jenipapo Kanindé, em Aquiraz

71 pessoas do povo Jenipapo Kanindé devem ser imunizadas na primeira fase, com prioridade para mais velhos e profissionais de saúde que atuam na comunidade

Cacique Pequena sendo vacinada por enfermeira contra Covid-19
Legenda: Cacique Pequena, liderança indígena do povo Jenipapo Kanindé, foi uma das primeiras vacinadas da aldeia
Foto: Theyse Viana

“Ela há de ser terminada de uma vez por todas”. Esse é o desejo de Cacique Pequena, 75, para a Covid-19, doença que vitimou 14 pessoas entre os povos indígenas no Ceará, de acordo com os dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). A liderança do povo Jenipapo Kanindé foi uma das primeiras pessoas da aldeia a tomar a vacina contra o coronavírus nesta quinta-feira (21), quando os aplicadores chegaram à comunidade em Aquiraz.

A campanha deve imunizar 71 pessoas, sendo 16 doses para profissionais de saúde que atuam no posto de saúde do local e o restante para a comunidade, com prioridade para os mais idosos, segundo Jania Abreu, coordenadora e assistencialista do Polo base Jenipapo Kanindé. As vacinas para a segunda dose ainda não foram distribuídas.

“A gente ficou muito grato a Deus por essa grande oportunidade que nós tivemos de essa doença não se estender aqui dentro da aldeia do povo Jenipapo Kanindé”, diz Cacique Pequena, enquanto recebia a dose da vacina aplicada por Jania.

Apesar das mortes entre indígenas, ela relata que apenas uma pessoa do povo Jenipapo Kanindé foi infectada por coronavírus, mas teve sintomas leves e já está curada. “Creio que agora nós tomando a vacina aí é que não se estende mesmo”. 

“Não tenham medo de se vacinar”

Nesta manhã também recebeu a vacina o pajé João Batista Alves, de 55 anos. “Não tenham medo de se vacinar”, pediu. “Essa vacina vai ser uma cura para nós, povos indígenas, e para todos os povos do mundo inteiro”, disse a filha da Cacique Pequena, Maria da Conceição Alves Sabino, 50, outra liderança imunizada.

Indígenas são parte de grupo prioritário

De acordo com os planos de imunização federal, estadual e nacional, os povos indígenas aldeados em terras demarcadas fazem parte do grupo que deve receber a vacina contra o coronavírus ainda na primeira fase. O Estado recebeu 218 mil doses do imunizante nesta segunda-feira (18). A quantidade será suficiente para dar duas doses a 109 mil cearenses

No Ceará, as 14 mortes de indígenas em decorrência das complicações da Covid-19 durante a pandemia ocorreram em 11 cidades. Dados divulgados por meio da plataforma Integrasus, da Sesa, dão conta de 1.357 casos confirmados de infecção por coronavírus entre a população indígena cearense. 

Municípios com mais casos confirmados entre indígenas no Ceará:

  • Itarema: 205 casos
  • Crateús: 198 casos
  • Caucaia: 189 casos
  • Maracanaú: 108 casos
  • Monsenhor Tabosa: 102

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza