TV Diário lança projeto de inclusão de jovens na arte urbana

Iniciativa realizada em parceria com a Assembleia Legislativa do Ceará oferta oficinas de grafite, com aulas teóricas e práticas, nos bairros Jangurussu e Barra do Ceará até sábado (19). Trabalho serão apresentados em exposição

Legenda: TV Diário lança projeto de inclusão de jovens na arte urbana
Foto: Foto: Fabiane de Paula

O desenvolvimento artístico como alargador de perspectiva da juventude impulsionou a criação do projeto “Arte de rua mudando vidas”, realizado pela TV Diário e patrocinado pela Assembleia Legislativa do Ceará. Até sábado (19), jovens que residem nas proximidades dos bairros Jangurussu e Barra do Ceará participam de oficinas de grafite, com os artistas locais: Laura Holanda, Luci Sacoleira, André Nódoa, Zevictor e Daniel Chastinet. O responsável pelas vídeo aulas sobre grafite é Marquinhos Abu. No total, são seis dias de atividades teóricas e práticas que culminarão na primeira exposição de arte do Estado com visitação no formato Drive Thru.

Os encontros formativos acontecem desde ontem no turno da manhã no Cuca Jangurussu e pela tarde no Cuca Barra. De acordo com Graça Araújo, gerente responsável pela unidade do Jangurussu, o principal objetivo desse programa é promover a mudança na vida dos jovens para que eles sejam influenciadores de outras formas de viver. “A arte é uma força transformadora, esperamos que esses jovens sejam protagonistas do mundo e da esperança através da arte”, explica.

A artista visual Laura Holanda atua no projeto como multiplicadora de saberes e técnicas. No encontro com os jovens, ela revela se dedicar na descoberta particular de qual estilo artístico faz os olhos dos alunos brilharem. “Eu espero que eles enxerguem a arte como uma possibilidade de futuro, como um ponto de conexão, de colocar pra fora a percepção dele sobre tudo. Eu desejo que outras pessoas tenham acesso a isso, pois esse tipo de iniciativa é capaz de mudar o mundo”, celebra a muralista. 

 

Fomento

Além do caráter social, o projeto também corrobora para o incentivo de novos artistas. “Pra mim foi a oportunidade que eu sempre quis de me aprofundar no grafite. Apesar de gostar muito, admirar a galera do grafite, eu não pintava”, afirma Juranda Lima, educador social do Cuca. O jovem relata que a infância na periferia encontra uma série de barreiras que impede o acesso à cultura. O educador reforça que, alternativas como este projeto, são capazes de provocar mudanças efetivas na relação dessas crianças com o mundo. “É uma grande oportunidade poder estar realizando esse sonho, de poder aprender sobre arte que tenho desde criança, é bom saber que nunca é tarde para realizar”.

Com a finalização dos trabalhos, as obras produzidas de forma colaborativa, serão expostas na exposição “Mudando Vidas”, que será montada no estacionamento da Arena Castelão e ficará disponível para a visitação gratuita no mês de janeiro. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza