Sarto cogita Hospital da Mulher e Ginásio Aécio de Borba como locais de vacina da Covid na capital

Os dois locais receberam a visita do prefeito Sarto Nogueira na manhã desta segunda-feira (4)

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: Hospital da Mulher poderá se tornar ponto de vacinação contra o coronavírus na Capital
Foto: Natinho Rodrigues

O prefeito Sarto Nogueira visitou na manhã desta segunda-feira (4) dois possíveis locais de vacinação contra a Covid-19, em Fortaleza: o Hospital da Mulher, no bairro Jóquei Clube, e o Ginásio Aécio de Borba, no Benfica. 

Segundo Sarto, dependendo da vacina a ser liberada oficialmente, é preciso traçar planos alternativos uma vez que cada uma tem especificidades de aplicação e armazenamento.

"A gente está acompanhando, vendo quais são os planos alternativos para, preventivamente, antes de saber qual vacina vem, a gente já procura estabelecer estratégias, de A a Z", disse.

O prefeito explicou ainda que no Hospital da Mulher existe uma ampla área com alas separadas para pacientes com Covid-19 e para outros tipos de atendimento.

"O ingresso (de pacientes) é feito de maneira isolada. E tem uma área física que daria para fazer uma estrutura de vacinação, a depender da vacina, sem atrapalhar o cotidiano do hospital", afirmou.

Plano de vacinação

Tão logo esteja disponível, a vacina contra a Covid-19 poderá ser aplicada primeiramente em trabalhadores da saúde e pessoas com mais de 75 anos, de acordo com o "Plano de Operacionalização para a Vacina Contra a Covid-19". O documento feito pela secretaria da Saúde do Estado ainda não foi apresentado oficialmente pelo Governo do Estado e é passível de mudanças. Ainda não há definição de quando a vacina estará disponível no Estado. 

Um total de 1.794.076 pessoas que fazem parte dos grupos prioritários serão vacinados. A meta é imunizar pelo menos 95% desse público. Confira as fases de imunização: 

  • Primeira fase: trabalhadores da saúde, idosos a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena.
  • Segunda fase: pessoas de 60 a 74 anos.
  • Terceira fase: pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras);
  • Quarta fase: professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.


O documento do Ceará diz ainda que serão necessárias 4.485.190 doses da vacina, considerando as duas aplicações do esquema de imunização. Na logística para a operacionalização da vacinação no Estado, o plano  menciona a aquisição  de 147 câmaras refrigeradas de 200 e 300 litros que serão destinadas aos municípios com até 100 mil habitantes, e outros 22 refrigeradores de 400 litros que irão para cidades que têm  acima de 100 mil habitantes.

Assuntos Relacionados