Vereador Ronivaldo Maia respondeu a três processos por violência doméstica; todos foram arquivados

A prisão preventiva do político foi decretada na última terça (30) e, horas depois, ele foi transferido para o presídio

Escrito por Redação,

Segurança
Vereador autuado por tentativa de feminicídio pediu fim da violência contra a mulher 4 dias antes de ser preso
Legenda: Vereador autuado por tentativa de feminicídio pediu fim da violência contra a mulher 4 dias antes de ser preso
Foto: Câmara Municipal de Fortaleza

O vereador por Fortaleza Ronivaldo Maia (PT), preso por tentativa de feminicídio na última segunda-feira (29), já respondeu a outros três processos por violência doméstica na Justiça Estadual - todos foram arquivados. A prisão preventiva do político foi decretada na última terça (30) e, horas depois, ele foi transferido para o presídio.

A reportagem teve acesso à ficha de Antônio Ronivaldo da Silva Maia, de 51 anos, na Justiça Estadual, que lista três ações penais contra ele que tramitaram no 1º Juizado da Violencia Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Fortaleza, iniciadas nos anos de 2008, 2009 e 2011.

Dois processos são decorrentes de ameaça em âmbito familiar e um, de violência doméstica. Todos os processos foram arquivados definitivamente na Justiça. Questionado por mais informações sobre os processo, o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) informou que as ações penais "tramitam em segredo de justiça, por essa razão, não podem ser fornecidas informações sobre o trâmite processual".

Já o advogado Hélio Leitão, que representa a defesa de Ronivaldo Maia, pontuou que os processos "foram extintos, arquivados, e não trouxeram nenhuma consequência processual para ele, então não podem ser considerados para nada".

A defesa de Ronivaldo informou que irá ingressar com um pedido de liberdade para o cliente, nas próximas horas. Sobre as acusações contra o político, Leitão afirmou que irá "esperar a evolução das investigações para se manifestar".

O advogado Hélio Leitão havia afirmado, após a decretação da prisão preventiva, que "ele (Ronivaldo) reúne todas as condições para responder ao processo em liberdade: é uma personalidade pública, não tem histórico de violência e não tem antecedentes criminais, como foi reconhecido pela própria Justiça".

Transferência para presídio

Ronivaldo Maia teve a prisão preventiva decretada pela Vara de Audiência de Custódia, da Justiça Estadual, na última terça-feira (30), no dia seguinte à prisão por tentativa de feminicídio, ao arrastar a sua amante com um carro, no bairro Granja Portugal, em Fortaleza.

Horas depois, Ronivaldo foi transferido da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), da Polícia Civil do Ceará (PCCE), no Centro de Fortaleza, para a Unidade Prisional Irmã Imelda Lima Pontes, localizada na BR-116, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).