Saxofonista agredido no Papicu recebe alta e pede ajuda para recuperar instrumento musical

Quatro suspeitos de participação na ação criminosa foram identificados pela Polícia Civil

Saxofonista agredido no Papicu recebe alta e pede ajuda para recuperar instrumento musical
Legenda: O artista recebeu diversos golpes e chutes, antes de ser arrastado pela Rua Júlio Azevedo com uma corda presa aos pés
Foto: Reprodução

O saxofonista Raimundo Valdy Barboza, agredido após apresentação em frente a um prédio residencial, na madrugada de quinta-feira (2), no Papicu, recebeu alta nesta sexta (3) do hospital onde estava internado.

No Instagram, ele atualizou os seguidores sobre o atual estado de saúde e pediu ajuda para recuperar o instrumento musical de trabalho. 

"Gente, eu quero agradecer pelo apoio, viu, galera?! Não tô muito bem ainda, mas, graças a Deus, eu tô vivo, né?! Tô sem o meu instrumento, mas eu creio que logo, logo vou estar aí tocando para vocês", relatou.

"Assim que estiver com o instrumento eu vou tocar para vocês aí. Podem pedir qualquer música", complementou.

Ele divulgou um número de telefone para doações via Pix: (85) 9 8589-3857. 

Investigação

Conforme a Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), quatro suspeitos de participação na ação criminosa foram identificados pela Polícia Civil.

A apuração, conduzida pelo 15° Distrito Policial (DP), realiza oitivas e busca saber quais foram as circunstâncias e a motivação da lesão corporal que vitimou o músico.

Também segundo a pasta, a segurança no bairro é feita com viaturas do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e da Força Tática (FT), contando ainda com o reforço do Comando de Policiamento.

Hospitalizado

Na manhã desta sexta, foi confirmada, na página oficial do Instagram do artista, que ele havia sido hospitalizado.

Uma adolescente de 17 anos, identificada como Vitoria Samia, apresentou-se como assessora de imprensa do saxofonista, afirmou que ele estava "sem condições de estar se comunicando". 

Ela disse que Francisco Valdy sofreu "várias perfurações" e, em razão disso, passaria "por várias cirurgias".

Entenda o caso

O crime ocorreu na rua Júlio Azevedo, onde, segundo moradores, estão estabelecidas pessoas em situação de rua e usuários de drogas.

Nas imagens, o homem está no chão, cercado por um grande grupo de pessoas. Aos gritos, ele pede ajuda enquanto recebe diversos golpes e chutes, antes de ser arrastado pela rua com uma corda presa aos pés.

Na quarta-feira (1º), ele se apresentou com o instrumento musical em frente a um dos prédios da área. Conforme uma moradora, o artista chegou a ser ameaçado para que parasse de tocar, mas continuou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança