Policiais militares do Ceará são alvos de operação por envolvimento em organização criminosa

Como parte da 3ª fase da Operação Gênesis, mobilização ocorreu em Fortaleza e em Caucaia

operação gênesis contra policiais militares
Legenda: Equipes da PM e da Polícia Civil cumpriram os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão
Foto: Divulgação/PMCE

Uma organização criminosa formada por integrantes de facções e policiais militares do Ceará foi alvo da 3ª fase da Operação Gênesis, deflagrada na manhã desta quinta-feira (27), pelo Ministério Público (MPCE).

Foram cumpridos 26 mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, sendo 21 contra membros de grupos criminosos (8 já detidos no sistema penitenciário estadual) e 5 contra PMs em Fortaleza e em Caucaia, na Região Metropolitana. 

A facção da qual fazem parte os 26 suspeitos têm atuação em todo o território nacional. Especificamente no Ceará, no entanto, a organização se juntou a um grupo criminoso de menor parte para fortalecer o tráfico de drogas no tráfico de drogas no bairro Bom Jardim e adjacências.

Além do comércio de entorpecentes, os suspeitos são apontados ainda pela execução de homicídios, lesões corporais, ameaças, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, associação para o tráfico, entre outros. 

O envolvimento dos policiais militares era dar suporte ao esquema e omitir crimes em troca de vantagens financeiras. Os agentes de segurança retiravam qualquer obstáculo das atividades ilícitas para livrar os criminosos.

As informações fazem parte de uma investigação conjunta entre o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do MPCE, e a Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Coin).

Em nota, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) afirma que "determinou a instauração imediata dos competentes procedimentos disciplinares em desfavor dos policiais envolvidos na Operação Gênesis e já solicitou ao MPCE e à Secretária da Segurança Pública o compartilhamento das provas".

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança